Tamanho do texto

Novela das 19h começa nessa terça-feira (31) e, assim como a antecessora, tem uma história de fantasia e o desafio de evitar os clichês da anterior

“Deus Salve o Rei” tinha tudo para ser uma novela diferente. Mas, no fim das contas, não soube aproveitar o conceito da Idade Média, de reis e rainhas, e acabou focando mesmo na história de amor.

Apesar de história inusitada, assim como
Divulgação
Apesar de história inusitada, assim como "Deus Salve o Rei", o foco de "O tempo Não Para" será o casal de protagonistas

Errando mais do que acertando, a novela se despediu na última segunda-feira (30) dando lugar a “ O Tempo Não Para ”, que também promete uma história inusitada. Assim como “ Deus Salve o Rei ”, a nova trama tem um “quê” de passado, mesmo se passando no presente.

Leia também: Por que “Deus Salve o Rei” deu errado?

Uma família do século XIX acaba congelada em um iceberg e é descoberta 132 anos depois, nos dias de hoje. Em meio a isso, a jovem Marocas ( Juliana Paiva ), que veio do passado, se apaixona por Samuca (Nicolas Prattes) que vive no presente. A relação do casal é o fio central da trama, o que pode levar a história para o mesmo caminho de “Deus Salve o Rei” só que, ao invés do conflito envolver reinos, envolverá as mudanças de costumes dos muitos anos que dividem o casal. “É uma comédia romântica. Conta uma história de amor inusitada entre duas pessoas de séculos diferentes”, comenta o autor Mario Teixeira.

Os dilemas morais de “O tempo Não Para”

Com escravos abolidos,
Divulgação
Com escravos abolidos, "O Tempo Não Para" pode fazer um retrato da população negra ao longo dos últimos 100 anos

Uma das narrativas da novela, claro, será acompanhar essa adaptação de um grupo inserida numa São Paulo 100 anos a frente de seu tempo. Os avanços tecnológicos, as mudanças culturais e as liberdades causam estranhamento e curiosidade desse grupo antigo, e deve gerar alguns bons momentos em que as coisas mais simples do nosso dia a dia são refletidas como grandes novidades.

Mas, além disso, um tema central será a escravidão. Em 1886, quando o grupo é congelado, Dom Sabino (Edson Celulari) era dono de escravos, que só seriam abolidos dois anos depois. Mas a grande questão é, 132 anos depois, como vive o negro no Brasil?

Leia também: Com o fim de "Deus Salve o Rei", listamos quem se deu bem e quem ficou queimado

Esse aspecto social será apresentado por meio de Eliseu (Milton Gonçalves), catador de materiais recicláveis que acolhe parte dos congelados, incluindo Dom Sabino. Com um filho criminoso e outro sem ambições na vida, ele cria a neta Paulina (Carol Macedo) como filha e nunca perde as esperanças.

Considerando, principalmente, as críticas que a Globo tem sofrido em relação ao papel do negro em suas novelas, essa é uma oportunidade de fazer um retrato social justo, algo que a novela anterior não tinha ambição de fazer.

Leveza e humor

Divulgação
"O Tempo Não Para" vai apostar no humor e devolver a leveza da faixa das 19h

Algumas das características das novelas da faixa das 19h são a leveza e o humor. Embora “Deus Salve o Rei” tenha caminhado em parte para o lado da comédia, a leveza se perdeu em meio a tramas violentas de batalhas entre reinos, bruxarias e violência em geral, o que levou o Ministério Público a exigir uma mudança na classificação etária do folhetim.

O “Tempo Não para” promete devolver essa suavidade, apostando nesse conflito de épocas para divertir e entreter. Se não cair no maniqueísmo fácil, a novela terá a oportunidade de devolver as marcas já costumeiras do horário e que foram abandonadas por “ Deus Salve o Rei ”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.