Tamanho do texto

Nova série da Globo, “Vade Retro” brinca com o sobrenatural com texto afiado de Fernanda Young e Alexandre Machado

A culpa de “Vade Retro” existir é dos argentinos. Pelo menos foi isso que Fernanda Young contou na coletiva de apresentação da nova série da Globo, realizada nesta quinta-feira (6) em São Paulo. Ela conta que o marido, Alexandre Machado, teve a ideia ao passar por alguns apuros no Rio de Janeiro na época da Copa do Mundo , que incluíram ficar hospedado com um grupo de argentinos que, no melhor estilo de torcedor, não deu sossego para os vizinhos. Fernanda conta que daí surgiu a ideia para série já que para Alexandre, aquilo só podia ser obra do Diabo.

Leia também: Monica Iozzi retorna as telinhas como protagonista de “Vade Retro”

Tony Ramos interpreta o maléfico Abel Zebu no seriado
Divulgação/TV Globo
Tony Ramos interpreta o maléfico Abel Zebu no seriado "Vade Retro"

“Vade Retro” conta a história de Abel Zebu (Tony Ramos), um rico empresário que contrata a advogada Celeste ( Monica Iozzi ) para auxiliar no divórcio com sua esposa Lucy Ferguson (Maria Luísa Mendonça). De bom coração, Celeste acaba aceitando trabalhar para esse homem de moral duvidosa pois não possui nenhum cliente em sua empresa de advocacia. Os dois começam a se envolver mais e mais, conforme Celeste é seduzida por essa figura maligna, mas fascinante, que a tira da mesmice que é a sua vida.

Leia também: Dez casais da ficção que se repetiram em novelas

Advogada do diabo?

Mauro Mendonça Filho, diretor artístico da série, deixa claro que as semelhanças de Abel com o capeta podem ser mera coincidência. Abel tem características diabólicas, mas não fica claro se ele tem uma relação real com Belzebu ou não. “Se ele é o diabo, esse é o mistério”, complementa Fernanda.

Abel pode até não ser a encarnação do mal, mas boa pessoa também não é. Tony Ramos comenta as semelhanças ou, mais precisamente, a falta de semelhanças com o personagem: “não tem nada de mim. Só transpiração e inspiração. Eu gosto de me despojar de qualquer pré-julgamento ou crítica”, explica.

Mas, com uma vasta carreira e oportunidades, Tony Ramos pode se dar ao luxo de escolher personagens. O que o atraiu a “Vade Retro” ? O texto. Tony comenta que ficou muito marcado com o roteiro. “Quando eu li pensei ‘tem um ruído novo aí (na história)’”. Cada episódio começa com uma palestra de Abel, e o que ele diz permeia o episódio inteiro.  

O ator também disse que preferiu não usar referências de outros filmes, já que a figura do diabo é um tema discutido desde sempre, e se ateve a criar algo com o que estava no roteiro.  

Roteiro afiado...

As referências ao bom e mal, céu e inferno, podem ser claras nos nomes dos personagens, mas a série não se limita a simplesmente fazer piada com isso. A comédia afiada de Fernanda e Alexandre é notável no diálogo sagaz, e na interpretação dos personagens, principalmente Moniza Iozzi. Em seu primeiro papel como protagonista , Iozzi recusa o título e prefere dar créditos a todo o time, incluindo elenco e direção. “Eu não parei para pensar nisso (ser protagonista). Tivemos um período de preparação de todo o elenco, improvisando uns com os outros. Me senti numa trupe, como se estivesse fazendo um trabalho coletivo”, comenta.

Mas, mesmo assistindo apenas a fragmentos de cena, fica claro que a atriz é um dos fios condutores das risadas. Com intimidade na comédia, que quem acompanha seu trabalho já conhece desde os tempos de “CQC” , ela parece estar mais confortável justamente quando pode fazer rir.

Monica Iozzi encara primeira protagonista no seriado
Divulgação/TV Globo
Monica Iozzi encara primeira protagonista no seriado "Vade Retro"

Monica parece ter sido escolhida a dedo. Ela comenta, com empolgação, que tanto Mauro como Fernanda sugeriram seu nome quando eles estavam a procura do elenco, colocando ela como principal escolha para o papel de Celeste. E a personagem tem uma tendência a acreditar nos outros, um bom coração que Monica acredita ser uma característica sua. Mas ao contrário da criadora, a criatura parece ficar mais maldosa ao longo do tempo, seduzida por Abel Zebu.

...elenco afinado

Iozzi, porém, não é a única a arrancar gargalhadas. Todo o elenco parece muito preparado para transmitir a graça do texto. Juliano Cazarré é um destaque com seu Davi. Namorado de Celeste, ele dá suas escapadas com a secretária da moça, Kika (Luciana Paes) – outro destaque cômico.

Davi não gosta de Abel e acredita que ele é o tinhoso em pessoa. Por isso, se alia a mãe de Celeste, Leda (Cecília Homem de Mello) e a mulher de Abel, Lucy, para tentar descobrir os segredos do empresário. Cazarré, que nas palavras do próprio Mauro, é “um dos atores mais completos da atualidade”, também não poupou elogios ao texto. Ele, que já estava de malas prontas para voltar ao Rio de Janeiro depois de uma temporada em São Paulo, permaneceu na cidade para interpretar o que para ele é um palhaço. “O Davi é um atrapalhado na vida, quando quer acertar erra, quando quer errar, acerta sem querer”, conta.

Luciana Paes também se divertiu na pele de Kika e comenta, entre risadas,  da falta de ambição da personagem e sua característica meio “idiota”. Um momento de Kika envolvendo uma cama de hospital é um dos pontos altos do material apresentado, e mostra que ela deve gerar muitas risadas enquanto estiver na tela.

Chorando de rir

Não é só do riso fácil que a série se faz, e o elenco “dark” também será maldosamente hilário . Além de Tony Ramos, Maria Luísa Mendonça está diabólica na pele de Lucy, que, de acordo com a atriz, quer mesmo é se divertir. “Ela é uma personagem muito plural”, complementa. E a sua Lucy acabou se tornando um norte para a Lilith de Maria Casadevall . Com as possíveis semelhanças entre as duas personagens, Maria conta que mirou em Lucy para criar uma personagem reconhecível, mas sem as mesmas características. “É muito sedutor o registro que a Maria Luísa faz, e é muito fácil entrar nesse registro”, comenta. “A partir do que a Maria Luísa propôs eu procurei fazer um paralelo, mas que fosse diferente, um contraponto”, completa Casadevall.

Elenco e direção se reuniram em São Paulo para falar sobre
Divulgação/TV Globo
Elenco e direção se reuniram em São Paulo para falar sobre "Vade Retro"

Mauro Mendonça Filho informou já estar planejando a segunda temporada da série, e Fernanda e Alexandre já estão trabalhando no texto. Ele conta que existe muitas possibilidades e muitas história para contar ainda. “Vade Retro” terá 12 capítulos e estreia na quinta-feira (20).

Leia também: Impactante, estreia de "A Força do Querer" movimenta as redes sociais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.