Tamanho do texto

Série de reportagens do iG abordou como o sexo é tratado no cinema, na TV, na literatura e na música e levantou importantes debates; leia as matérias

A mais recente série de reportagens do iG abordou um tema delicado na cultura pop: o sexo. Foram 19 pautas que trataram o tema na TV, cinema, literatura e música e levanaram debates importantes sobre pornografia, nudez e erotismo.

Leia também: Pornografia: modelo tradicional definha enquanto gigantes da tecnologia crescem

Série de reportagens
Reprodução
Série de reportagens "Sexografia" abordou sexo, nudez e erotismo na cultura

As matérias da série de sexo "Sexografia" são assinadas pelo editor de entretenimento do portal iG Reinaldo Glioche , pelos repórteres Beatriz Bradley , Caio Menezes e Gabriela Mendonça , e pelas estagiárias Bruna Cambraia , Heloísa Cavalcanti e Verônica Maluf , e foram puxadas por uma entrevista com a fotógrafa Fernanda Preto , conhecida por dessexualizar a nudez em seus ensaios. A fotografia erótica também foi contemplada na série.

A nudez em revistas  também foi pauta de uma matéria de Bruna Cambraia que explorou como as revistas P layboySexy W ajudaram a desmistificar o tema no Brasil. Já uma outra matéria da repórter Beatriz Bradley mostrou que, apesar de todos os avanços da sociedade, a nudez ainda é um tema sensível e chocante . Esse ainda foi um dos temas abordados pela sexóloga Laura Muller, do "Altas Horas", em entrevista exclusiva ao iG .

Entretanto, a nudez e o sexo podem ser considerados uma forma de arte  – ao contrário da pornografia – e existem alguns artistas que querem tirar os temas do lugar comum através de expressões artísticas . A arte, aliás, é um importante player no debate de gênero, como mostra a matéria de Heloísa Cavalcanti .

Erika Lust não está sozinha: ela está longe de ser a única mulher a inovar no segmento da pornografia
Reprodução/Instagram
Erika Lust não está sozinha: ela está longe de ser a única mulher a inovar no segmento da pornografia

A nudez e o erotismo não precisam necessariamente estar veiculados a imagens, o que faz com que a literatura erótica seja tão popular. É isso que o editor Reinaldo Glioche aborda na matéria que relaciona o tema ao empoderamento feminino . A posição e a visão das mulheres no erotismo na cultura pop foram representadas por um artigo dedicado à diretora sueca Erika Lust, do considerado pornô feminista

A música e as artes plásticas não ficaram de fora. A ótima matéria de Verônica Maluf mostra como as artes plásticas abordam os temas , enquanto Heloísa Cavalcanti  discute se a música objetifica ou empodera as mulheres .

Cinema

Entretanto, o terreno mais fértil para a nudez e o erotismo nas artes é o cinema. Por isso, a sétima arte inspirou mais pautas, como a de Gabriela Mendonça avaliando como o sexo evoluiu no cinema nos últimos anos . Os diretores que trabalham a sexualidade em seus filmes  também foram tema de uma reportagem especial.

A pornografia teve um espaço só seu e ganhou uma  lista de peculiaridades da produção de país para país  e entrevistas com suas principais estrelas. A repórter Beatriz Bradley entrevistou a atriz Fernandinha Fernandez , enquanto Caio Menezes falou com o ator Big Macky .

Por fim, a série "Sexografia" discutiu a proibição da pornografia no Brasil e mostrou que, ao contrário do que muita gente pode imaginar, o sexo é um tema muito nobre.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.