Tamanho do texto

Durante sete temporadas, a série não poupou seus personagens, mas algumas pessoas eram tão terríveis, que suas mortes foram celebradas

“Game of Thrones” está cada vez mais próxima de seu derradeiro fim, o que deve encher os fãs de satisfação (esperamos!) e saudade. Enquanto a última temporada não chega, aproveitamos para lembrar os melhores momentos dos anos que se passaram desde sua estreia em 2011.

undefined
Reprodução
Arya Stark é responsável por algumas das mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones" em sua busca por vingança pela família

Uma das coisas que mais chama atenção em “ Game of Thrones ” com certeza é a quantidade de mortes. Desde Ned Stark (Sean Bean) decapitado no começo, até um dos dragões de Daenerys (Emilia Clarke) atingido pelo Rei da Noite, ninguém está seguro na produção.

Leia também: Presidente da HBO viu o "espetacular" fim de "Game of Thrones: "são seis filmes"

Alguns personagens, porém, são tão odiados que suas mortes são celebradas. E foi pensando nisso que criamos essa lista, com as mortes mais satisfatórias nessas sete temporadas da série. Confira:

  • Viserys Targaryen
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Capaz de fazer qualquer coisa para chegar ao trono, Viserys Targaryen (Harry Lloyd) vendeu a irmã Daenerys para Khal Drogo (Jason Momoa) em troca de um exército. Ele humilhou a irmã e desprezou os Dothraki acreditando que era invencível.

Ele quis tanto uma coroa que sua irmã e o marido lhe garantiram uma. Na cena icônica, Drogo joga ouro derretido na cabeça de Viserys enquanto Daenerys observa, para enfim dizer que “ele não era um dragão. O fogo não mata um dragão”.

  • Craster
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Essa não é necessariamente satisfatória, pois junto com Craster (Robert Pugh) morreu também o Comandante da patrulha da Noite, Jeor Mormont (James Cosmo). Mas ver um dos piores personagens da série ser morto não incomodou.

Apesar de receber a Patrulha em sua casa, ele os deixa em situação de miséria, e evidencia os maus tratos com sua família. Ele tem diversas mulheres com quem tem filhas, que depois se tornam também suas mulheres. Elas são forçadas a servi-lo e, sempre que uma dá a luz a um homem, os obriga a mata-lo.

  • Os escravocratas de Astapor
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Em busca de um exército, Daenerys chega a Astapor e, no mesmo episódio que viu o destino de Craster, ela tem um encontro com os donos de escravos da região. Não só eles são tirados das famílias desde pequenos e submetidos as piores circunstâncias, mas os escravos da região também tem os membros sexuais cortados.

Depois de fazer uma suposta troca de um de seus dragões pelos escravos, Dany solta a icônica frase “Dracarys”, que faz com que Drogon ataque os donos de escravos.

  • Joffrey Baratheon
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Um dos piores personagens da história da TV, Joffrey Baratheon (Jack Gleeson) era sadomasoquista e tinha satisfação em ver a dor e sofrimentos alheios. Mandou matar Ned, humilhou Sansa (Sophie Turner) e Tyrion (Peter Dinklage) e não respeitava ninguém.

Matou diversas pessoas só por prazer, e teve na quarta temporada uma morte daquelas de se comemorar, durante seu casamento. Envenenado, ele passou mal e morreu na frente de todos.

  • Tywin Lannister
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

No final da quarta temporada foi a vez de Tywin Lannister (Charles Dance) conhecer seu fim. O patriarca dos Lannister sempre desprezou o filho mais novo, ignorou os esforços da filha Cersei (Lena Headey) para manter o trono e era um grande tirano.

Obrigou Tyrion a se casar com Sansa e tentou matar o próprio filho durante uma batalha. Seu destino chega pelas mãos do caçula, que com uma besta entra no banheiro e atira no pai que está sem as calças.

  • Septã Unella
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Cersei está longe de ser uma das personagens favoritas, e muitos fãs torcem pelo seu derradeiro fim esta temporada. Mas, o que ela passou por conta das convicções do Alto Pardal (Jonathan Pryce) na 5ª e 6ª temporada foi digno de pena.

Depois de fazer o caminho da vergonha nua pela cidade enquanto a Septã Unella (Hannah Waddingham) acusa sua vergonha, ela ainda apanha, passa fome e sede. Quando finalmente ela tem sua vingança, a Septã tem uma morte peculiar nas mãos do Montanha (Hafþór Júlíus Björnsson). Não tinha como não torcer para Cersei nessa.

  • Alto Pardal
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Mas o líder da seita religiosa que coloca a capital do reino de cabeça para baixo também teve um fim memorável. Fazendo um paralelo com a realidade, ele considera uma ofensa o comportamento de mulheres como Cersei, que já dormiram com mais de um homem e não vive de acordo com a fé.

Tido como um homem bom, ele é na verdade um opressor que usa violência para alcançar seus objetivos. Em meio a sua vingança, Cersei explode todo o Septo de Baelor e todos que estão dentro sem misericórdia, só para matar o Alto pardal.

Leia também: "A morte pode ser um ótimo final", diz Peter Dinklage sobre "Game Of Thrones"

  • Ramsay Bolton
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Se Joffrey cruzasse o caminho de Ramsay Bolton (Iwan Rheon) ele encontraria um ídolo. O bastardo que toma o norte de Theon Greyjoy (Alfie Allen) leva o sadismo para outro nível. Ele submete Theon as piores torturas imagináveis, incluindo tirar seu membro sexual e retraí-lo a uma figura insignificante.

Depois disso, é Sansa o alvo de sua violência e maldade. Ela é estuprada, marcada e vive em constante medo do homem que se tornou sue marido. Por isso, é um dos melhores momentos da série quando ele é finalmente capturado na “Batalha dos Bastardos”. Preso e machucado, ele recebe uma visita de Sansa, que literalmente solta os cachorros nele, que é morto pelos animais.

  • Walder Frey
undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Responsável por uma das chacinas mais tristes da história da série, Walder Frey (David Bradley) é responsável pela morte de Robb Stark (Richard Madden) e Catelyn Stark (Michelle Fairley) no sangrento casamento vermelho.

Arya Stark (Maisie Williams), que está próxima do local, jura vingança antes de ir para Braavos aprender sobre os homens sem rosto. Quando retorna a Westeros, ela visita as Gêmeas primeiro e, usando um dos rostos que roubou, se passa por uma servente. Enquanto Frey come, ele procura pelos filhos, que ela diz que estão em sua comida. Assustado, ele se vê de frente ao seu rosto real, antes dela mata-lo com sua espada. Justiça servida!

  • Mindinho

undefined
DIVULGACAO/REPRODUÇÃO
As mortes mais satisfatórias de "Game of Thrones"

Enquanto Jon (Kit Harrington) está em Porto Real, Sansa é a protetora do norte em Winterfell. Ela é aconselhada por Mindinho (Ainden Gillen) e quando Arya chega, ele tenta colocar uma contra outra. Mas elas se unem e, no último episódio da temporada, o julgam por seus crimes.

Leia também: Executiva da HBO afirma que final de "Game Of Thrones" terá muitas mortes

Mindinho foi quem traiu Ned Stark e fez de Sansa seu peão na própria tentativa de ter algum poder. É com sua própria adaga que Arya corta seu pescoço. Embora seja um dos personagens de “ Game of Thrones ” que mais interessa acompanhar por conta de seus jogos, não dá pra dizer que seu fim não é satisfatório.

    Leia tudo sobre: game of thrones
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.