Tamanho do texto

Sertanejo xingou a apresentadora após um discurso contra conservadorismo na televisão; ele chegou a pedir desculpas, mas acabou sendo processado

Fernanda LIma e Eduardo Costa
Reprodução/Instagram
Fernanda Lima está processando o sertanejo Eduardo Costa depois de ter sido xingada nas redes sociais

O Ministério Público do Rio recomendou que o cantor sertanejo Eduardo Costa preste preste 50 horas de serviço comunitário durante um mês após ofender a apresentadora global Fernanda Lima nas redes sociais. A informação é do jornalista Anselmo Gois

Leia também: Treta! Fernanda Lima processa Eduardo Costa após ser xingada nas redes sociais

A polêmica entre os dois foi desencadeada depois de um discurso feito por Fernanda em seu programa, "Amor & Sexo" . Na ocasião, a apresentadora criticou o conservadorismo: "Chamam de louca a mulher que desafia as regras e não se conforma. Chamam de louca a mulher cheia de erotismo, de vida e de tesão. Chamam de louca a mulher que diz sim e diz não. Não importa o que façamos, nos chamam de louca. Se levamos a fama, vamos sim deitar na cama. Vamos sabotar as engrenagem desse sistema de opressão".

Em resposta, Eduardo xingou a apresentadora de imbecil e escreveu nas redes sociais: "A mamata vai acabar, a corda sempre arrebenta por lado mais fraco e o lado mais fraco hoje é o que ela está. Será que essa senhora só faz programa pra maconheiro, pra bandido, pra esquerdista derrotado e pra esses projetos de artistas assim como ela?"

Leia também: "Sou um cara visceral e falo o que penso", diz Eduardo Costa após polêmica 

Em dezembro, antes de participar do programa "Conversa com Bial", Eduardo Costa gravou um vídeo pedindo desculpas à  Fernanda Lima pelo ocorrido: "Me arrependo profundamente, acho que fui um babaca naquele momento, poderia ter me posicionado de outra forma, de uma forma mais leve".

A apresentadora, no entanto, não aceitou o pedido e acabou processando o cantor. "Depois de ser difamada, agredida e ameaçada por ele através de um post indignado, procurei orientação jurídica a fim de proteger a mim e a minha família. Fui orientada a processá-lo, pois dessa forma inibiria agressões futura. E assim o fiz", disse Fernanda Lima .