Tamanho do texto

Colega de bancada de Madureira no programa "Três em Um" disse que tanto Marcelo como outros colegas de trabalho sempre tiveram total liberdade de expressão dentro da rádio Jovem Pan; veja o que ele comentou a respeito

O editor-executivo e comentarista, Carlos Andreazza comentou em seu Twitter sobre a demissão de Marcelo Madureira da rádio Jovem Pan. Em uma sequência de postagens o jornalista fez um tipo de manifesto e afirmou que o colega de trabalho não seria demitido por  posições políticas .

Leia também:Marcelo Madureira é demitido de rádio e posição contra Bolsonaro pode ser causa

Carlos Andreazza se posiciona sobre demissão de Marcelo Madureira
REPRODUÇÃO/TWITER
Carlos Andreazza se posiciona sobre demissão de Marcelo Madureira

“Adoro o Madureira e lamento que tenha deixado a Jovem Pan . Mas isso não decorreu de suas posições políticas, ou o programa que ele integrou, duro crítico do bolsonarismo e do lulopetismo, teria sido extinto bem antes. Nunca, na Pan, alguém disse o que eu poderia ou não falar”, começou Carlos Andreazza.

Leia também:José de Abreu critica posicionamento político de Regina Duarte na web

O comentarista continuou dizendo que tanto Marcelo Madureira quanto outros colegas de trabalho tem total liberdade de expressão. “Faço esse comentário porque a sugestão de que alguém é dispensado por motivos políticos sempre sugere que os que ficam dançam conforme a música. Repito: temos, Vera Magalhães e eu, como tinha Madureira, liberdade total para opinar na Jovem Pan. Não fosse assim, não estaríamos lá”.

Em outra publicação Andreazza chegou a dizer o que ele descreveu como um “brevíssimo manifesto”. “Em nome da liberdade, e com muita coragem nestes tempos difíceis, posiciono-me para pedir que você vote como quiser, em quem quiser. Lembro que existe a opção “nulo”. Não existe voto moralmente superior. Sobreviveremos. Obrigado”.

O colunista ainda finalizou: “Este manifesto não aceita outros signatários. É o “Brevíssimo Manifesto do Editor Carlos Andreazza Que Odeia Manifestos E Jamais Assinou Um’”.

Leia também: Roger Waters admite erro em protesto em show, mas mantém crítica a Bolsonaro



Em outras publicações desta semana,  Carlos Andreazza provocou polêmica entre militantes de Jair Bolsonaro, presidenciável do PSL, ao publicar tweets em que denuncia ataques e ameaças proferidos por eles. “Põe suas barbas de molho aí que somos uma tropa que elege presidente da República, imagina o resto..”, diz em uma das postagens.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.