O editor-executivo e comentarista, Carlos Andreazza comentou em seu Twitter sobre a demissão de Marcelo Madureira da rádio Jovem Pan. Em uma sequência de postagens o jornalista fez um tipo de manifesto e afirmou que o colega de trabalho não seria demitido por  posições políticas .

Leia também:Marcelo Madureira é demitido de rádio e posição contra Bolsonaro pode ser causa

Carlos Andreazza se posiciona sobre demissão de Marcelo Madureira
REPRODUÇÃO/TWITER
Carlos Andreazza se posiciona sobre demissão de Marcelo Madureira

“Adoro o Madureira e lamento que tenha deixado a Jovem Pan . Mas isso não decorreu de suas posições políticas, ou o programa que ele integrou, duro crítico do bolsonarismo e do lulopetismo, teria sido extinto bem antes. Nunca, na Pan, alguém disse o que eu poderia ou não falar”, começou Carlos Andreazza.

Leia também:José de Abreu critica posicionamento político de Regina Duarte na web

O comentarista continuou dizendo que tanto Marcelo Madureira quanto outros colegas de trabalho tem total liberdade de expressão. “Faço esse comentário porque a sugestão de que alguém é dispensado por motivos políticos sempre sugere que os que ficam dançam conforme a música. Repito: temos, Vera Magalhães e eu, como tinha Madureira, liberdade total para opinar na Jovem Pan. Não fosse assim, não estaríamos lá”.

Você viu?

Em outra publicação Andreazza chegou a dizer o que ele descreveu como um “brevíssimo manifesto”. “Em nome da liberdade, e com muita coragem nestes tempos difíceis, posiciono-me para pedir que você vote como quiser, em quem quiser. Lembro que existe a opção “nulo”. Não existe voto moralmente superior. Sobreviveremos. Obrigado”.

O colunista ainda finalizou: “Este manifesto não aceita outros signatários. É o “Brevíssimo Manifesto do Editor Carlos Andreazza Que Odeia Manifestos E Jamais Assinou Um’”.

Leia também: Roger Waters admite erro em protesto em show, mas mantém crítica a Bolsonaro



Em outras publicações desta semana,  Carlos Andreazza provocou polêmica entre militantes de Jair Bolsonaro, presidenciável do PSL, ao publicar tweets em que denuncia ataques e ameaças proferidos por eles. “Põe suas barbas de molho aí que somos uma tropa que elege presidente da República, imagina o resto..”, diz em uma das postagens.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários