Tamanho do texto

Em entrevista, a atriz contou que passou por assédio durante sua carreira de modelo e que sofreu com os efeitos da depressão por cerca de um ano e meio

Aos 48 anos de idade e com quase 30 de carreira, Adriana Esteves é uma das mulheres que esbanja talento na televisão atualmente em “Segundo Sol”. Em entrevista a Marie Clarie,a atriz falou sobre assédio na juventude, depressão e sua relação com o marido e também ator Vladmir Brichta .

Leia também:Adriana Esteves se desfaz de Carminha graças à parceria com Chay Suede

Adriana Esteves está no ar como Laureta, na novela
Divulgação
Adriana Esteves está no ar como Laureta, na novela "Segundo Sol"


“Quando era criança, morava no subúrbio do Rio de Janeiro (Méier), e brincava na rua. Alguns homens paravam o carro e ficavam chamando as meninas. Eu sabia que aquilo estava errado e saía correndo”, afirmou Adriana Esteves .

Leia também:Personagens que estão cansando a nossa paciência em "Segundo Sol"

Adriana contou que o maior assédio que passou foi durante sua carreira de modelo. “Onde mais me aconteceu foi trabalhando como modelo, naquela fase que você não sabe se é menina ou mulher, que não está preparada psicologicamente para lidar com situações como essas”.

“Havia fotógrafos abusadores que, enquanto estavam no domínio, luzes ligadas, te fotografando de biquíni, de lingerie, seguravam e tocavam em lugares do seu corpo que não eram para ser tocados. Um constrangimento horrível. E faziam isso de forma recorrente, com todas as modelos. Eu inventava que estava me sentindo mal, que precisava pegar meu roupão. Isso tem que acabar”, revelou. 

A depressão na vida de Adriana Esteves

Adriana Esteves fala sobre depressão e as dificuldades que passou ao lutar contra a doença
Divulgação
Adriana Esteves fala sobre depressão e as dificuldades que passou ao lutar contra a doença

A atriz também contou que teve um tempo em que se sentiu perdida e acabou ficando com depressão por cerca de um ano e meio. “Passei pela fase de não conseguir comer, de não sair da cama, de achar um sofrimento tomar banho, de engordar muito com o antidepressivo. Acreditava profundamente nas fantasias que surgiam na minha cabeça, não conseguia diferenciar o que era real e o que não era.”

Adriana ainda contou como se sentiu durante os meses com a doença. “Meu maior sofrimento era que achava que ia morrer, mas queria muito viver. Ficava triste porque pensava 'a minha vida era tão boa e já está acabando, tenho tanta coisa para viver'. A dor da depressão foi tão grande que parecia que eu ia morrer e tive a chance de não morrer. A sensação que ficou é de ter ressuscitado”.

Relação com Vladmir Brichta

Adriana Esteves fala sobre relacionamento com o marido e também ator Vladimir Brichta
Marcello Sá Barretto / AgNews
Adriana Esteves fala sobre relacionamento com o marido e também ator Vladimir Brichta

Ao ser questionada sobre o sexo com o marido, a artista revelou que as coisas entre os dois só melhoraram durante os 14 anos de casamento. “Acho que melhorou, ficou mais natural. E entendi que o casamento precisa desse namoro, precisa se entrelaçar. Um dos presentes do casamento é ter uma pessoa com quem você gosta de fazer sexo e que gosta de fazer sexo com você”.

Adriana Esteves também não poderia deixar de relembrar o papel que mais marcou sua carreira. “A Carminha foi o maior gozo da minha vida [...] E essa sensação dura até hoje. Ainda chego a lugares e escuto ‘mãe, a Carminha está aí’, disse ao relembrar a personagem da novela "Avenida Brasil" (2012).