Tamanho do texto

Zapata foi um líder revolucionário mexicano assassinado em 1919 e até hoje é visto como um herói para a população que querem a queima do quadro

O Palácio das Belas Artes na Cidade do México foi invadido por manifetantes, na última terça-feira (10), em protesto contra uma pintura que mostra Emiliano Zapata fazendo uma pose "não convencional".

Leia também: Juiz determina que Marcelo D2 exclua comentários acusando João Doria

Zapata arrow-options
Reprodução/Instagram
Zapata


Leia também: Morre Chico Teixeira, diretor de "Casa de Alice" e de "Ausência"

Os manifestantes pediram para que a obra seja queimada, pois, como a pintura mostra Zapata pelado, montado em um cavalo, vestindo salto alto e chapéu rosa ela, ela seria "ofensiva demais".

Leia também: André Sturm é o novo secretário do Audiovisual do governo Bolsonaro

Mas, o neto do herói revolucionário , Jorge Zapata González quer que a obra seja retirada do museu. "Não vamos permitir isso. Para nós, como parentes, isso (a obra de arte) denigre a figura de nosso general, representando-o como gay", afimou o neto de Emiliano Zapata .

    Leia tudo sobre: gay