Tamanho do texto

Clássicos da Disney como "Dama e o Vagabundo" vem com uma observação na plataforma: "contém representações culturais desatualizadas"

O Disney+, é um serviço de streaming da Disney que chegou nos EUA, no Canadá e na Holanda este mês, com precisão de estreia em 2020 em outros países. Seus filmes clássicos como "Peter Pan", "Dumbo" e "A Dama e o Vagabundo" estão disponíveis na plataforma, e todos apresentam um aviso legal de que no filme "podem conter representações culturais desatualizadas".

Princesas Disney arrow-options
Divulgação
Princesas Disney













Leia também: Cocaína, suicídio e rehab: Disney é uma máquina de fazer estrelas surtadas

O aviso foi colocado nos filmes da Disney que contêm elementos racistas e preconceituosos e que já foram criticados como tais no passado. Alguns desses títulos são: "Aristogatas", "Fantasia" e "Mogli: O Menino Lobo", embora o aviso esteja apenas na sinopse dos filmes.

Leia também: Após fraca estreia da Apple, Disney é único obstáculo da Netflix no Brasil

Podemos encontrar elementos preconceituosos facilmente nesses filmes. Por exemplo, um personagem de corvo, em "Dumbo", chamado 'Jim Crow' fala com um sotaque que, na verdade, é uma paródia racista do sotaque do negro americano.

Leia também: Vetada pela Globo, Carla Vilhena fala sobre críticas a Maju: "não sou racista"

Já os filmes, "Aristogatas" e "A Dama e o Vagabundo" apresentam gatos siameses com vozes que são paródias ofensivas dos sotaques do leste asiático. Além de que, todos eles foram dublados por atores brancos. Em "Peter Pan" observamos representações racistas dos índios norte-americanos. O aviso que a Disney incorporou em sua nova plataforma, foi comparado com um aviso similar que a Warner Bros. colocou em seus desenhos do "Tom and Jerry".