Tamanho do texto

Drama da Warner, co-produzido pela Amazon, coletou US$ 1 mil por sala no fim de semana de estreia; apenas 26% das críticas são positivas

Como filme, "O Pintassilgo" está longe de ser notável: são terríveis 26% de resenhas positivas no site Rotten Tomatoes . Financeiramente, porém, o longa deve entrar para a História. Com US$ 2,7 milhões de bilheteria em seu fim de semana de estreia diante de um custo de US$ 45 milhões (fora o marketing), o longa deve entrar no ranking histórico de fracassos de bilheteria: estima-se que serão US$ 50 milhões de prejuízo. 

Leia também: Comédias românticas vivem renascença no cinema com fase empoderada

Cena de O Pintassilgo arrow-options
Divulgação
Cena de O Pintassilgo

A conta fica ainda mais amarga quando se considera o elenco estrelado, que conta com Nicole Kidman, Odewen Wilson, Sarah Paulson, Ansel Egort e mais. Segundo as críticas, a adaptação de " O Pintassilgo " para o cinema desperdiça o rico material original, transformando uma narrativa complexa em uma decepção.

Leia também: Imprevisibilidade do palhaço dá força a sua representação no cinema de gênero

Lançado em 2013, o romance narra a vida de Theo, que perde a mãe durante um atentado ao Metropolitan Museum of Art e aproveita a ocasião para roubar um quadro de 1654, do holandês Carel Fabritius.

Leia também: Sem criatividade? Filmes com histórias parecidas estreiam nos próximos meses

" O Pintassilgo " foi uma parceria dos estúdios Warner (responsável por 60% dos gastos) e Amazon (40%). Estreando em 2.542 salas de cinema, o filme teve uma renda de US$ 1 mil por local - a sexta pior média de todos os tempos para lançamentos desta magnitude. O longa chega ao Brasil em 10 de outubro.