Tamanho do texto

Dez funcionários da Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEOP) chegaram à Bienal do Livro a procura de livros considerados "impróprios"

No início da tarde desta sexta-feira (06), dez funcionários da Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEOP) chegaram à Bienal do Livro, que está sendo realizada no Riocentro, para identificar e lacrar livros considerados "impróprios".

Leia também: Com cerca de 20 livros publicados, Marc Levy vem ao Brasil para novo lançamento

Fiscais da prefeitura na Bienal do Livro arrow-options
Agência O Globo
Fiscais da prefeitura na Bienal do Livro


Leia também: HQ censurada por Crivella está esgotada na Bienal desde quarta-feira (4)

A operação durou até 14h00 e não apreeendeu nenhuma obra da Bienal do Livro . Segundo Wolney Dias, subsecretário operacional da SEOP, que comandava a operação, trata-se de "uma vistoria em busca de material pornográfico".

Leia também: Bienal do Livro do Rio aposta em diversidade e assuntos do momento

"A prefeitura tem poder de polícia para isso", disse Wolney à imprensa presente no local da Bienal do Livro . "Se o material não estiver seguindo as recomendações, ele será recolhido. Estamos seguindo a orientação da procuradoria da prefeitura. Eu não entendo que haja censura. Se for material pornográfico , oferecido sem as normas, será recolhido". confira o vídeo dos fiscais no evento.



A organização do evento entrou com pedido de mandado de segurança preventivo no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (06), a fim de garantir o pleno funcionamento do evento e o direito dos expositores de comercializar obras literárias sobre as mais diversas temáticas – como prevê a legislação brasileira.

Consagrada como o maior evento literário do país, a Bienal mantém sua programação para o fim de semana, dando voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados.

Entre sexta (06) e domingo (08) – último dia de evento – a Bienal recebe autores, artistas, pensadores e acadêmicos do Brasil e exterior para participar de 39 painéis sobre os mais variados temas, como fake News, felicidade, ciências, maternidade, teatro, literatura trans, LGBTQA+ e muito mais. Além de todo um pavilhão dedicado às crianças, com contação de histórias, lançamento de livros e espetáculos circenses.