Tamanho do texto

O ator também pontuou que o Brasil é visto como "primo pobre" no exterior

Nesta quarta-feira (28), Leandro Hassum esteve no programa “The Morning Show”, da Rádio Jovem Pan . O ator e humorista falou sobre a indicação do filme “A Vida Invisível” para  representar o Brasil no Oscar 2020 .

Leia também: Com apoio da família, filme sobre Simonal tenta mudar a reputação do cantor

Leandro Hassum acredita que Brasil nunca ganhou prêmio por arrow-options
Reprodução/Youtube
Leandro Hassum acredita que Brasil nunca ganhou prêmio por "questão de panela"

Leia também: Adeus Globo! 5 pontos para entender a saída de Leandro Hassum da emissora

“O filme do Karim é maravilhoso, mas é um pouco mais do que a gente já viu em nossos filmes que já foram pré-selecionados lá atrás”, disse Leandro Hassum ao analisar situação do Brasil na premiação.

“'Que Horas Ela Volta', da Regina Casé, era um filme que tinha um baita potencial, eu achava que ia. Mas se você olhar, vai ver que a pegada era bem parecida com essa do Karim”, comparou.

Hassum acredita que o Brasil ainda não levou a estatueta por um único motivo: “A minha teoria é que a gente meio que corre atrás do próprio rabo! Não ganhamos um Oscar ainda por uma questão, acima de tudo, de panela. A gente é sempre visto como o primo pobre”.

“Sempre entra um filme iraniano que perdeu o dedal da tia na guerra, ou o menino egípcio, com legenda em egípcio, correndo descalço com o pé em feridas... Ai vem o Hassum gritando? Não vai ganhar, né?”, brincou o humorista  .

Dois filmes com o ator estavam entre os 12 pré-indicados ao posto de filme brasileiro para representar o país na premiação, “Chorar de Rir” e “Simonal”. Segundo Leandro Hassum , as duas produções não tem o perfil de escolha da Academia: “Comédia e biografia local... Não vão selecionar”.