A família do escritor chileno Pablo Neruda denunciou, na última quinta-feira, que o Serviço Médico Legal de seu país estava atrasando a investigação sobre sua morte , que se arrasta há mais de sete anos.

Leia também: Cinco livros de Pablo Neruda para ler depois de assistir "Neruda"

Pablo Neruda
Divulgação/ IMDb
Pablo Neruda

Sobrinho do vencedor do Prêmio Nobel, o advogado Rodolfo Reyes disse que o órgão oculta e demora para entregar amostras de sedimentos retirados do túmulo de Pablo Neruda . O corpo do autor foi exumado em abril de 2013, para que fosse verificado se tinha morrido ou não em decorrência de um câncer. A família suspeita que ele teria sido envenenado pela ditadura de Augusto Pinochet, em função de sua simpatia pelo ex-presidente Salvador Allende.

Leia também: Conflito político transforma-se em batalha existencial em "Neruda"

Após a descoberta de uma bactéria patogênica (Clostridium botulinum) nos restos de Pablo Neruda  , o que confirmaria a hipótese de que ele foi morto, as amostras são requeridas pelo Laboratório Mac Master Laboratory do Canadá como uma “amostra de controle” para confirmar ou descartar possível contaminação externa.

"Não tenho como descrever a atitude do Serviço Médico Legal com essa desordem que prejudicou a investigação", disse Reyes em uma entrevista coletiva à imprensa estrangeira.

De acordo com seu relato, o Serviço Médico Legal inicialmente recusou-se a recolher as amostras argumentando falta de orçamento. Uma vez descoberto que elas foram extraídas no momento da exumação — em 12 de abril de 2013 — o órgão teria informado erroneamente de que havia restos remanescentes.

O juiz investigador do caso, Mario Carroza, compareceu aos escritórios do órgão na última quarta-feira e verificou a existência das amostras, que agora devem ser enviadas ao Canadá para análise.  Para Reyes, este último procedimento é vital para concluir a extensa investigação — reaberta em 2012 depois que o ex-motorista de Neruda, Manuel Araya, afirmou que o poeta poderia ter sido envenenado.

Leia também: Dez livros que vão te ajudar a entender a sociedade em 2019

Após a análise de um grupo de 16 especialistas, a justiça chilena determinou que  Pablo Neruda não morreu como resultado do câncer que sofreu, embora não tenha conseguido confirmar o envenenamento.

    Veja Também

      Mostrar mais