Tamanho do texto

O filme "Neruda" exala poesia e pode ser um bom motivador para se aprofundar no trabalho do escritor Pablo Neruda

Tão poético quanto o homenageado, o filme “ Neruda ” traz um pouco do trabalho do chileno que foi o segundo Prêmio Nobel do país, tendo apenas a poetisa Gabriela Mistral como sua antecessora.  Dos diálogos entre os personagens às questões envolventes que vem à tona, a poesia do filme de Pablo Larraín pode ser inspiradora para o espectador mergulhar no universo de Pablo Neruda, seja através dos seus versos mais tristes ou pelos seus cantos rebeldes.

Leia mais:  "La La Land: Cantando Estações" lidera indicações ao Globo de Ouro de 2017

Luis Gnecco vive o poeta Pablo Neruda em filme de Pablo Larraín
Reprodução
Luis Gnecco vive o poeta Pablo Neruda em filme de Pablo Larraín


Confira cinco livros de Pablo Neruda para ler depois de assistir ao filme:

"Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada"

O vigésimo poema deste livro é mencionado no filme ainda no começo, quando Pablo Neruda podia usufruir da sua vida de boêmio sem se preocupar com alguma perseguição. Voltado para a temática do amor e das mulheres, em que o corpo feminino e a natureza se cruzam diversas vezes, o que faz referência à imagem de grande amante que o poeta construía.


"Canto Geral"

O livro talvez seja o mais significativo para o filme, que se passa durante a perseguição do autor durante a Guerra Fria no Chile. A obra também foi escrita na mesma época, durante a fuga de Pablo Neruda entre uma casa e outra no seu país natal. Alguns trechos dos poemas são citados em “Neruda”, nas cenas mais intensas de perseguição e o livro se tornou uma referência para toda a América Latina por seu tom combativo e apaixonado.

Leia mais:  As atrações imperdíveis da 24ª Bienal Internacional do Livro em São Paulo


"Confesso que Vivi"

O livro foi publicado postumamente e é uma autobiografia de Pablo Neruda, dividido em capítulos que correspondem a diversas fases da vida do poeta, desde sua infância até o Golpe de Estado de 1973 que instaurou a ditadura militar no Chile. Diante dessas poesias, é possível conhecer o íntimo do autor e a sua trajetória por completo, inclusive os momentos que estão representados no filme de Pablo Larraín.


"Crepusculario"

Este é o primeiro livro de Pablo Neruda, com poemas que o autor escreveu entre seus dezesseis e dezenove anos. O livro aborda temas que sempre foram recorrentes na sua vida: o amor, as mulheres e uma inquietação relacionada às questões sociais. “Crepusculario” é onde toda a história do poeta começa. 

Leia mais:  Por que livro de Hitler virou best-seller após 70 anos de proibição

"Espanha no Coração"

“Espanha no Coração” é mais um livro em que Pablo Neruda expressa a sua preocupação social, assim como em “Canto Geral”. A temática é a Guerra Civil Espanhola, em que o autor expõe os horrores que tomaram conta do país entre 1936 e 1939 assumindo uma postura política através da sua poesia.