Tamanho do texto

Dez anos após a morte do rei do pop, toda uma indústria de covers segue viva em torno dele e com públicos diferentes e específicos no Brasil e no mundo

Quase todo mundo já dançou, cantou e tentou imitar Michael Jackson e o que não passa de um hobby para alguns, se tornou profissão para outros, que a partir da admiração pelo Rei do Pop descobriram a arte de ser cover.

Leia também: Muito além do glamour! O peso de ser sósia de uma celebridade

Rodrigo Teaser, cover oficial de Michael Jackson
Divulgação
Rodrigo Teaser, cover oficial de Michael Jackson

Segundo uma matéria publicada no portal da Globo em 2010, com informações da agência O Gordo e o Magro, especialista no mercado de covers, após a morte de Michael Jackson , em 25 de junho de 2009, a procura por shows de seus imitadores aumentou cerca de 300%.

Leia também: Documentário polêmico faz de Michael Jackson uma figura tóxica na mídia

Inúmeras pessoas fazem tributo ao artista pop, seja de forma simples ou completamente personalizada. Apesar da grande quantidade de imitadores, o paulista Rodrigo Teaser é quem carrega o título de cover oficial com reconhecimento da Sony Music, quando em 2003  foi convidado para representar a América Latina no show 30th Years of Magic, em Nova York, EUA.

O artista, de 37 anos, começou a curtir o trabalho do cantor ainda criança e graças as suas coreografias venceu a timidez na infância, quando aos nove anos fez sua primeira dança inspirada no ídolo. De acordo com ele, seguir esta carreira foi algo despretensioso. “Fazia isso [imitar MJ] sozinho, para ficar feliz. Depois as pessoas começaram a me pedir também e eu achei estranho”, relembra.

Rodrigo se tornou cover cerca de 10 anos após a primeira performance, quando passou a receber convites para eventos e entendeu esta responsabilidade como um trabalho: “Então eu vi que precisava oferecer algo. Só se tem valor diante daquilo que pode oferecer para as pessoas”, esclarece.

Ricardo Walker
Arquivo pessoal
Ricardo Walker

Apesar das histórias de admiração à Jackson serem semelhantes a de Teaser, Ricardo Walker e Christian Joseph, que também são fãs de infância do ícone pop e atualmente vivem fazendo tributo a ele, não levam reconhecimento oficial com este trabalho, mas são felizes por fazerem parte do mercado de covers e não se sentem inferiores pelo título carregado por Rodrigo.

Christian Joseph
Arquivo pessoal
Christian Joseph

“Sinceramente não me importo com esse 'posto'; pra mim o que mais importa é a qualidade do trabalho”, garante Ricardo, de 25 anos. Já Christian, de 32, descarta a necessidade de ganhar o reconhecimento oficial. "Isso traz muita dor de cabeça, este título não é colocado por nós mesmos, e sim pelo público e pela mídia, trazendo um sentimento negativo aos que não aceitam isso. Prefiro viver em paz”.

Competição, fatores comuns e singularidade entre os covers

Rodrigo Teaser
Arquivo pessoal
Rodrigo Teaser

Ser cover de um dos maiores artistas do mundo é, de fato, encarar um mercado de muitos concorrentes. Teaser, por sua vez, descarta a rivalidade com os demais e não desacredita na hipótese de alguém receber o mesmo título que o seu em algum momento, pois segue como base o seguinte lema: o que ele apresenta não é de sua criação, por isso, não pode ter ciúmes.

“As pessoas podem fazer homenagens também e tem que fazer dentro da lei. Tem cara que é mala, mal educado, acha que só ele deveria fazer, sente ciúmes sim, sente disputa. Eu interpreto o Michael Jackson que eu enxergo, cada cara faz do jeito que enxerga, não cabe eu achar que é uma disputa, porque isso é muito frágil, é um ser, não é personagem. Não posso achar que sou o único especial no mundo que possa fazer isso. Não pode deixar o ego falar mais alto, você nunca vai ser mais importante que a arte”, ressalta o paulista.

Christian Joseph
Arquivo pessoal
Christian Joseph

A fama e talento de Rodrigo Teaser são pontos admirados por Ricardo e Christian. Joseph, que acredita que todas as pessoas deste meio têm seus diferenciais, faz questão de ressaltar: “Conheço ele há muito tempo, somos grandes amigos e ele é uma pessoa incrível! Tenho como principal inspiração o Michael Jackson, mas o Ro é um exemplo vivo de que, com muito trabalho e dedicação, é possível alcançar seus sonhos e isso acaba sendo uma inspiração também”.

Rodrigo Teaser com Simaria
Arquivo pessoal
Rodrigo Teaser com Simaria

Apesar da intenção ser a mesma - fazer tributo ao Rei - eles costumam ter públicos específicos. Christian normalmente se apresenta em aniversários, casamentos e confraternizações de empresas, com performances de 30 minutos ou, simplesmente, presença para fotos com convidados. Ricardo, por sua vez, já passou de eventos intimistas a turnê de 30 shows em cruzeiro espanhol e apresentações em teatros brasileiros, enquanto Rodrigo faz o próprio show com direito a membros da equipe de Michael Jackson.

Mesmo já tendo se apresentado no exterior, atualmente Teaser está rodando o Brasil, mas não faltam convites internacionais. Por achar inviável se apresentar com uma equipe local, ele acaba descartando as propostas. “Acho frio, essas oportunidades só acontecem com a minha equipe, garanto a qualidade com ela e isso dificulta nossa ida, mas na hora certa vai acontecer. Quero que as pessoas saibam que foi show brasileiro feito por brasileiro”, explica.

Contato com pessoas ligadas a Michael Jackson

Rodrigo Teaser
Reprodução/Instagram
Rodrigo Teaser

O show Tributo ao Rei do Pop foi uma criação de Rodrigo e sua esposa. Com mínimos detalhes pensados para se manter fiel a turnê de despedida do MJ, desde figurinos a iluminação, com grande repertório e reproduções dadas proporções em uma apresentação sem pausa, o brasileiro chamou atenção e conquistou o carinho de LaVelle Smith, coreógrafo de Michael, que se ofereceu para fazer parte da obra e desde então se mantém fiel, se apresentando somente com Rodrigo.

Rodrigo Teaser com LaVelle Smith
Reprodução/Instagram
Rodrigo Teaser com LaVelle Smith

A aproximação resultou em amizade e também garantiu a oportunidade de contato com Jennifer Batten, guitarrista da banda oficial do artista pop. Ao lado deles, o brasileiro vai fazer algumas apresentações neste mês e, em breve, pretende reunir outros profissionais da equipe de MJ para continuar eternizando este trabalho.

Ricardo Walker
Divulgação
Ricardo Walker

O cover oficial não foi o único a ter um contato deste tipo, Walker já esteve com o pai de Michael, Joe Jackson, e diz que esta foi uma de suas maiores realizações da carreira: “Eu tinha meus contatos nas descrições dos meus vídeos, então a equipe dele viu e entrou em contato falando pra pegarmos o primeiro vôo para o Rio para conhecê-lo e se apresentar para ele em três cidades. Foi uma honra gigantesca se apresentar e ser aplaudido por ele”.

O trabalho de cover

Rodrigo Teaser
Divulgação
Rodrigo Teaser

Mesmo com a popularidade, se consolidar neste mercado é um trabalho minucioso. “A dificuldade não está em ser oficial ou não, está em te enxergarem como cover”, declara Rodrigo Teaser, que movimenta suas apresentações com o próprio show, por conta da ausência de lei de incentivo a este tipo de arte.

Christian Joseph
Divulgação
Christian Joseph

Embora haja dificuldades, eternizar o trabalho de um ídolo é algo considerado gratificante por essas figuras. “Não dá pra explicar, são muitos sentimentos envolvidos!”, enfatiza Christian Joseph sobre esta sensação.

Nesta profissão, Ricardo pretende honrar o legado do Michael: “Quero levá-lo à frente, seja em vídeos, shows, entrevistas ou de qualquer outra forma, mas sempre com honestidade ao que faço”.

Ricardo Walker
Arquivo pessoal
Ricardo Walker

Leia também: Janet Jackson homenageia Michael Jackson com releitura de Remember The Time

Seguir com estas obras requer, acima de tudo, fidelidade ao ícone e muito amor de fã. “O que me motiva é mostrar o quanto a vida de alguém pode mudar ao ser tocada por um artista. Quero que as pessoas se divirtam e entendam que essa obra do Michael Jackson é imortal, que tudo aqui é um tributo em homenagem a um cara, quando isso acontece eu fico feliz”, esclarece Rodrigo Teaser.