Tamanho do texto

Coluna Quarta Capa começa a ser publicada nesta segunda (8); saiba mais

Nesta segunda-feira (7), o Brasil, e mais especificamente o leitor do portal iG , ganha uma nova coluna de literatura. Elisa Dinis, formada em Jornalismo, pós-graduada em Língua Portuguesa e Literatura, e com forte experiência no mercado livreiro do País, assume o espaço, que se chamará Quarta Capa .

Mulher posando para foto
Arquivo pessoal
Elisa Dinis na feira do livro de Porto Alegre

“Ter um espaço que fale exclusivamente de literatura é maravilhoso”, observa Elisa Dinis . A ideia da coluna é promover debates, fomentar novos leitores, comentar lançamentos, observar o mercado e fundamentalmente instigar. “Às vezes o que falta é um empurrão, alguém comentando sobre algo que te instigue, te motive a ler. Nada melhor do que ter um espaço como a coluna para tentar fazer isso”.

Leia também: "A sociedade quer e ajuda a ser enganada", diz autor de livro sobre fake news

O nova colunista do iG reconhece que a literatura carece de maior espaço nas ditas mídias convencionais, mas hesita em concordar com afirmação de que o brasileiro lê pouco. “Como profissional do mercado tenho tido algumas oportunidades de conhecer diversas feiras literárias brasileiras e fico muito feliz em poder vivenciar essas iniciativas. As feiras sempre lotadas, com convidados muito legais, dando a oportunidade da proximidade leitor-autor, que eu particularmente adoro”.

Ela observa que a leitura tem um poder transformador e é justamente esse aspecto que visa valorizar com a coluna, que já abre com um tema quente: ditadura .

Sem preconceitos

imagem de duas pessoas conversando
Arquivo pessoal
Elisa Dinis na Bienal do Livro em 2018

A colunista do iG observa, ainda, que o espaço não terá amarras. Das HQs aos clássicos, tudo é muitíssimo bem-vindo. Para atestar suas intenções, ela compartilha – e recomenda – a leitura que a formou leitora, “Meu Pé de Laranja Lima”, de José Mauro Vasconcelos. “Com seis anos fui mexer na estante da minha mãe e comecei a ler”, comenta. “Depois vieram outros. Minha mãe tinha uma variedade enorme e isso fez com que eu tivesse contato com diversos gêneros”.

Leia também: Humor e arte: a censura se traveste de correção política no Brasil?

Além deste livro, Elisa Dinis recomenda "Blecaute" e "Feliz Ano velho" de Marcelo Rubens Paiva. Muitas recomendações, observações, reservas e análises estão por vir e todo tipo de leitor está mais do que convidado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.