Tamanho do texto

Rapper encerrou a programação do palco Ônix no segundo dia do evento

Um dos shows mais aguardados da noite, Post Malone conseguiu colocar todo mundo para dançar assim que pisou no palco. Com a estrutura abarrotada, ele interagiu com o público desde o começo e fez a alegria de quem superou a chuva no Lollaplooza 2019.

Leia também: Cheio de energia, Lenny Kravitz eletrifica público em dia agitado no Lolla

Show de Post Malone no Brasil
Divulgação/Lollapalooza
Post Malone

“Eu sei que está chovendo, mas estamos aqui para fazer festa. Quem mais está bêbado ai?”, brincou Post Malone para uma plateia alucinada.

O cantor tocou seus maiores hits, entoados em uníssono pela plateia, composta em sua maioria por jovens entre 18 e 25 anos.

Uma versão acústica de Stay , tocada no violão pelo cantor, foi um dos pontos mais baixos do show.

Na sequência de Sunflower , Rockstar e Congratulations Post Malone já dominava a plateia e mandou: “ Faça o que vocês quiserem”.

Leia também: Entre a timidez e o charme, Jorja Smith cativa pelo vozeirão na 1ª vez no Brasil

Participação brasileira

Post Malone
Divulgação
Post Malone encerra a noite no palco Ônix no 2º dia de Lollapalooza

A mistura de gêneros do Post Malone ganhou uma contribuição brasileira na noite deste sábado, no Lollapalooza. O americano compartilhou o palco com Kevin O Chris, que deu à multidão as batidas do funk da Penha. 

Malone aproveitou o tempo em que o brasileiro cantou os hits "Senta, senta, senta aí droga" e "Ela é do tipo" para fumar um cigarro e arriscar alguns passos, sempre sorrindo. No fim da parceria, os dois se abraçaram.

A voz do Baile da Gaiola, no entanto, não citou o colega Rennan da Penha, idealizador do baile funk. Mais cedo, a pernambucana Duda Beat fez um protesto contra a prisão do DJ, exibindo no telão a frase "Liberdade para Rennan da Penha."

Bastante emocionando, o funkeiro tentou resumir a experiência em entrevista ao Multishow: "Foi f***. Só tenho que agradecer".

Leia também: Chuva gerou tumulto e incertezas, mas não minou ânimo do público no Lollapalooza

Para todos os gostos

Rapper Post Malone
Divulgação/Lollapalooza
Show de Post Malone neste sábado no Lollapalooza Brasil

Misto de rapper com cantor pop, de bad boy de rosto tatuado com bom moço que puxa uma rodinha de violão, Post Malone é expoente do que chamamos de urban music une basicamente todas as diferentes tribos que vão ao evento.