Tamanho do texto

Atriz diz que a então diretora não gostou de seu trabalho com a personagem, que acabou com Melissa McCarthy, indicada ao Oscar pelo papel

Julianne Moore provou que é gente como a gente mesmo. A atriz revelou que foi demitida do longa “Poderia me Perdoar?”, em que interpretaria o papel que ficou a cargo de Melissa McCarthy.

Leia também: Cinco fatos importantes sobre "Capitã Marvel"

Julianne Moore
Divulgação
Julianne Moore


Em entrevista ao “Watch What Happens Live”, apresentado por Andy Cohen, Julianne Moore deu detalhes do que realmente aconteceu, respondendo a uma pergunta de um fã sobre o filme, já que até outubro de 2018 estava escalada para viver Lee Israel no cinema, personagem que foi presa por forjar cartas de escritores famosos.

“Eu não deixei o filme. Eu fui demitida. Nicole (Holofcener, diretora do longa que, posteriormente entregou a função para Marielle Heller) me demitiu. Ela não estava gostando do que eu estava fazendo com o papel”, disse. Então, o apresentador perguntou se as filmagens já haviam começado.

“Nós só tínhamos ensaiado algumas coisas, estávamos na pré-produção. Eu acho que a ideia que ela tinha da personagem era bem diferente da minha”, explicou.

Melissa McCarthy acabou interpretando a personagem e foi indicada ao Oscar 2019 na categoria de Melhor Atriz . “Eu não assisti ao filme ainda, porque é meio doloroso para mim. Eu amo Melissa, eu a venero e tenho certeza de que está ótima. Mas foi uma experiência ruim para mim. A única vez que eu fui demitida na vida foi em uma barraca de iogurte, quando tinha 15 anos”, confessou a ruiva.


Julianne ganhou o Oscar em 2016, quando interpretou uma professora que descobre ser portadora do Mal de Alzheimer, em “Para Sempre Alice”. A estrela levou a estatueta de Melhor Atriz, desbancando nomes como Reese Whiterspoon, que concorreu por "Livre"; Felicity Jones, por "A Teoria de Tudo"; Marion Cotillard, por "Dois Dias, Uma Noite" e Rosamund Pike, por "Garota Exemplar".

Recentemente, a artista opinou sobre o fato de o filme da Netflix, “Roma”, ter sido indicado ao Oscar 2019 . “Existem dois lados em casa história”, ponderou.

Leia também: A Guerra Santa de Steven Spielberg contra a Netflix

“Por um lado, mudanças sempre acontecem e nós nos adaptamos. Por outro lado, existem maneiras válidas e lindas de se assistir um filme que estão desaparecendo. Eu acho... nós não queremos a oportunidade de fazer coisas lindas e celebrá-las?”, encerrou Julianne Moore , em entrevista à revista "Variety".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas