Tamanho do texto

A organização não-governamental GLAAD (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation) teceu elogios à premiação por suas nomeações LGBT

Nesta terça-feira (22), a premiação mais conhecida do mundo quando o assunto é cinema conquistou elogios diante de sua inclusão LGBT, que foi apontada como a maior da história  pela organização não-governamental GLAAD (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation). 

Organização não-governamental GLAAD elogia Oscar 2019 por inclusão LGBT em suas indicações
Divulgação
Organização não-governamental GLAAD elogia Oscar 2019 por inclusão LGBT em suas indicações

Leia também: Oscar promete abraçar diversidade e globalização com indicados em 2019

O Oscar 2019 tem a maior safra de produções LGBT de toda a história da premiação. A informação foi apontada e elogiada pela Gay & Lesbian Alliance Against Defamation, uma organização não-governamental voltada a essa comunidade.

Dentre as indicações da premiação, estão "Bohemian Rhapsody", por exemplo, que aborda a vida do astro Freddie Mercury (Rami Malek), trazendo um olhar sobre a sua música e a sua homossexualidade. "A Favorita" também traz à tona um triângulo amoroso feminino. "Green Book" é outro longa que explora a identidade e a sexualidade de um de seus personagens, no caso o músico Don Shirley (Mahershala Ali).

Além de filmes cuja trama gira em torno de personagens da comunidade LGBT, produções que contaram com membros dessa comunidade em sua equipe também foram indicadas à premiação. "Se a Rua Beale falasse", por exemplo, é um filme baseado no best seller do autor James Baldwin, que é homossexual. O roteirista do longa, Barry Jenkins, também é um conhecido ativista da causa. O mesmo vale para Jeff Whitty (que escreveu “Poderia me Perdoar?”) e o cineasta Jeffrey Friedman ( “End Game”).

Leia também: "Roma" e "A Favorita" lideram corrida pelo Oscar 2019; veja os indicados

Oscar 2019 recebe elogios por safra de indicações LGBT

Divulgação
"A Favorita", "Green Book" e "Bohemian Rhapsody" fazem parte das nomeações LGBT do Oscar 2019

Em entrevista à revista estaduniense Variety, a presidente da GLAAD declarou: "A lista dos atuais indicados ao Oscar reflete um ano marcante para a inclusão LGBT no cinema e um sinal de que a Academia e seus membros estão priorizando a narrativa diversificada em um momento em que o público e os críticos pedem mais".

Leia também: Oscar se rende a Netflix e "Roma" se torna 1º da empresa indicado a Melhor Filme

Além disso, a presidente da organização ainda chegou a afirmar a respeito do Oscar 2019 e da importância da diversidade nas indicações: "A diversidade em toda a lista de indicações deve ser celebrada.  Levar a filmes mais inclusivos mudam a cultura, sem dúvida".

    Perfil do(a) author(a) iG São Paulo

    Sobre o autor(a)

    iG São Paulo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.