Tamanho do texto

Estrela de painel da Universal, cineasta Dean DeBlois conversou sobre os desafios da animação, como é criar dragões e os efeitos da tecnologia na saga ao longo dos últimos oito anos

 O terceiro e último episódio da saga "Como Treinar o seu Dragão", previsto para chegar aos cinemas brasileiros em 17 de janeiro de 2019, fez jus ao título de "maior Comic Con do mundo" na opinião do diretor Dean DeBlois e trouxe nada menos do que quatro clipes exclusivos, além do próprio cineasta para a CCXP 2018.

Diretor de
CCXP/ Ariel Martini
Diretor de "Como Treinar o seu Dragão 3" na CCXP 2018

DeBlois se disse honrado de participar da CCXP 2018 e rapidamente passou a responder as perguntas no painel, começando por qual é o maior desafio do filme. "É o Soluço ter de aprender a ser um líder sem o Banguela, tudo que Soluço alcançou nos dez sempre (o primeiro filme foi lançado em 2010) esteve relacionado ao Banguela. Ele vai precisar notar que tem de acreditar nele mesmo", afirma DeBlois.

Leia também: Com Tom Holland e Jake Gyllenhaal, Sony faz melhor painel da CCXP 2018

Em " Como Treinar o seu Dragão 3 ", fica explicado por que os dragões da raça Fúria da Noite quase foram extintos e a razão disso é quem faz o contraponto na trama. "Ele [Soluço] convenceu seus colegas vikings a viverem com dragões, o único problema é que eles têm alguns inimigos que querem controlar os dragões, prendê-los", de acordo com o diretor.

Na CCXP 2018, diretor fala sobre o processor de criar um dragão

Destaque na CCXP 2018,
Divulgação
Destaque na CCXP 2018, "Como Treinar o seu Dragão 3" exibiu clipes exclusivos no evento

Um dos grandes desafios da franquia foi criar um animal que nunca existiu na natureza. Dean DeBlois explica que diversas pesquisas foram feitas e especialistas foram consultados para falar da estrutura de ossos e músculos, além de analisar o comportamento de morcegos, pássaros e até esquelos de dinossauros. No caso, a Fúria de Luz, que é o interesse amoroso de Banguela, a inspiração veio das savanas: "É quase que uma leoa, a gente colocou um estilo mais felino".

Leia também: Warner aposta em produções ecléticas e astros simpáticos na CCXP 2018

Embora o intervalo entre o primeiro e terceiro filme seja de "apenas" oito anos, o cineasta comenta que, neste período, houve uma evolução bruto no que diz respeito à tecnologia e aos efeitos visuais nos filmes.

DeBlois lembra que haviam limitações e dificuldades durante o primeiro longa da trilogia, principalmente na hora de trabalhar com cabelos, águas e nuvens. Já neste, o cineasta conta que possível criar "tudo que eles sonharam" e que a tecnologia alcançou a ambição: "Vocês poderão ver isso no filme, todos vocês vão gostar".

Leia também: Capitã Marvel rouba a cena e aumenta expectativa para o filme

Sobre os quatro clipes exclusivos exibidos na CCXP 2018 , pudemos ver Soluço e companhia libertando dragões, o primeiro flerte (um tanto quanto atrapalhado) de Banguela e Fúria de Luz, a apresentação do vilão e a revelação do mundo oculto - a última cena deixou o público sem fôlego no auditório.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.