Tamanho do texto

Após EP com faixas em inglês e espanhol, documentário, parcerias e participação em reality mexicano, cantora faz nova ofensiva mundial

O plano era terminar 2017 com o nome espalhado pelo mundo. A época era boa, já que o também latino Luis Fonsi dominava as paradas com Despacito . Mas, se tornar uma estrela global não é fácil e Anitta descobriu isso ao final de seu “Check Mate” em dezembro.

Com novo EP, série documental e aparições internacionais, Anitta faz nova ofensiva rumo a dominação global
João Arraes
Com novo EP, série documental e aparições internacionais, Anitta faz nova ofensiva rumo a dominação global

No Brasil ela é sucesso inquestionável, mas lá fora ainda não conseguiu o mesmo status. Isso não significa que Anitta não siga tentando, mas subindo um degrau por vez, como ela mesma gosta de repetir.

Leia também: Desgaste? Falta de empatia? Como explicar afastamento entre público e Anitta?

Agora, ela faz mais uma ofensiva em busca dessa dominação, que tem Shakira como maior exemplo até hoje. Ela lança na próxima sexta-feira (16) na Netflix a série documental “Vai Anitta”, com seis episódios que mostram os bastidores de sua vida – coincidentemente ou não – justamente no período em que ela flerta com a carreira internacional.

Anitta é incansável e isso todos já sabemos, mas se 2017 foi derradeiro para estabelecê-la como maior artista pop brasileira, 2018 colocou a dedicação de seus fãs à prova. Ela se envolveu em uma série de polêmicas que deixou a fan base e até alguns simpatizantes com um pé atrás em relação a sua lealdade ao público.

Celebrada pela comunidade LGBTQ+, sua postura política e silêncio recentes foram vistos como descaso com esse grupo que compõe uma boa parcela de seus fãs. Mais cedo este ano foi a morte da vereadora Marielle Franco que a deixou em maus lençóis quando ela anunciou que gostaria de se pronunciar apenas “meses depois” do ocorrido.

A solução da cantora? Seguir em frente e para o México. Sempre presente na mídia, ela continuou lançando músicas regularmente, embora ainda não tenha lançado em 2018 nenhuma faixa que tivesse o mesmo êxito de Vai Malandra , período que deve encerrar a primeira temporada da série da Netflix. Além disso, ela ocupa uma das cadeiras de jurados do "The Voice" mexicano ao lado de Maluma - com quem retomou a amizade. 

"Vai Anitta" é um grande passo em sua caminhada mundial e ela sabe disso. Em conversa com os jornalistas na manhã de segunda-feira (12) ela comentou que a produção será como uma introdução para os gringos que não a conhecessem ou não tem afinidade com seu trabalho.

Como plataforma de marketing, a cantora não tinha como pensar em algo melhor. A gigante do streaming tem em seu catálogo alguns trabalhos envolvendo artistas, a maioria deles de altíssimo gabarito, como Lady Gaga e Justin Timberlake.

Controlando a própria narrativa

Anitta tem apostado em fortalecer sua imagem fora do Brasil, e escolheu o México como porta de entrada para os EUA
Divulgação
Anitta tem apostado em fortalecer sua imagem fora do Brasil, e escolheu o México como porta de entrada para os EUA

Anitta é uma ávida usuária das redes sociais e, além de compartilhar infinitos conteúdos, está sempre de olho no que se fala sobre ela. O que a coloca em crise com críticos constantemente. Sendo sua própria empresária, ela não pensa duas vezes em contestar qualquer informação negativa a seu respeito, mesmo quando não há necessidade.

Dona da própria narrativa, ela insiste em controla-la. Nesse sentido, apesar de esclarecer que seu documentário vai mostrar tudo, até a depressão que sofreu e os momentos sem maquiagem, ela está por trás de toda a produção, e sabe muito bem o que quer mostrar ao mundo.

Fase 2: o futuro de Anitta

Anitta com J Balvin em Miam mais cedo este ano: cantora dedica 2018 a carreira internacional
Reprodução/Instagram
Anitta com J Balvin em Miam mais cedo este ano: cantora dedica 2018 a carreira internacional

A série está prestes a estrear e, enquanto não há como saber como vai se sair na plataforma, já tem segunda temporada garantida – pelo menos no que diz respeito ao desejo da artista. Ela afirma que segue com uma equipe de gravação, e que não quis entregar tudo sobre si mesma logo de cara para ter “uma expectativa para a próxima temporada”.

Ela tem feito muitos contatos internacionais, inclusive com Pharell e DJ Khaled, com quem esteve recentemente, mas não há confirmação de que uma parceria pode ser consolidada. Com Iggy Azalea o trabalho era certo, mas no fim o single Switch foi um fracasso e rendeu até um  desentendimento entre a rapper australiana e os fãs brasileiros de Anitta.

Sobre uma suposta ligação de Madonna para uma futura faixa juntas, ela se negou veementemente a comentar. Embora a rainha do pop tenha certa afinidade com o funk brasileiro, não parece provável essa conexão. Se for, no entanto, pode ser mais eficiente que qualquer série.

Ela insiste em dizer que não tem nada planejado para o futuro, mas as câmeras por perto e a movimentação de sua vertente empresária dizem o contrário. Com o recém-lançamento do EP “Solo” ela deixa claro que seu futuro já superou as barreiras brasileiras. Resta saber se Anitta irá, finalmente, se tornar a estrela global que ela tanto almeja.

    Leia tudo sobre: anitta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.