Tamanho do texto

Produção estreia nesta quinta-feira (25) em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Curitiba e outras capitais; leia a crítica

“Estás me Matando Susana” é uma comédia com tintas mexicanas e Gael Garcia Bernal exercitando sua veia cômica. A produção assinada por Roberto Sneider (“Arranca-me a Vida”) trata de amadurecimento emocional, responsabilidade afetiva e de amor , em sua concepção mais latina e inflamada.

Leia também: Novo Halloween revitaliza slashers, brinca com legado da série, mas ousa pouco

Gael Garcia Bernal em cena de Estás me Matando Susana
Divulgação
Gael Garcia Bernal em cena de Estás me Matando Susana

Bernal dá vida a Eligio, que acorda um dia e percebe que sua esposa o abandonou. Ele descobre que ela foi para os Estados Unidos, mais precisamente para Iowa, participar de um curso literário. Ele decide ir ao encontro dela e é dessa jornada cheia de estranhamentos e repressões que “ Estás me Matando Susana” se alimenta.

Antes mesmo de Eligio ser abandonado por Susana (Verónica Echegui), vemos que ele tem uma amante. Seu comportamento machista e negligente é um incômodo superficial a aquela altura, mas o público vai se acostumando com a ideia do porque Eligio ter sido abandonado, ainda que simpatize com ele.

Esse aparente paradoxo é fruto da boa atuação de Gael Garcia Bernal, aqui exercitando sua veia cômica com tenacidade. É curiosa a trajetória do mexicano revelado no começo da década passada em uma trinca poderosa de filmes daquele país (“Amores Brutos”, “E Sua Mãe Também” e “O Crime do Padre Amaro”). Depois de se dedicar alguns anos ao cinema americano, ele migrou para o independente e agora parece estabelecido no cinema latino-americano. O magnetismo de Bernal permanece o mesmo, que ostenta filmes interessantíssimos no currículo como “Deserto” (2015), “Neruda” (2016), “Ensaio Sobre a Cegueira” (2008), entre outros.

 Leia também: "A Favorita" satiriza jogos de poder na Inglaterra do século XVIII

Estás me Matando Susana vale a pena?

Estás me Matando Susana: divertida comédia sobre a paixão latina
Divulgação
Estás me Matando Susana: divertida comédia sobre a paixão latina

É preciso um desalento muito grande para abandonar alguém e mudar-se para outro país e, também, algum nível de despertencimento. Por outro lado, seguir alguém até outro país o que exige? O que revela sobre quem partiu e sobre quem foi atrás? São questionamentos implícitos ao conflito central do longa e que são desenvolvidos com leveza sem deixar a assertividade de lado.

Leia também: Com Marina Ruy Barbosa, “Sequestro Relâmpago” não alcança status de thriller

“Estás me Matando Susana” tem carinho com seus personagens e não tem medo de assumir a lógica de que no amor a lógica é apenas coadjuvante e cativa por propor uma experiência, aos personagens, mas também ao público, tão passional e incontida.

    Leia tudo sobre: amor
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.