Tamanho do texto

Serviço de streaming vem desconstruindo a maneira de divulgar séries e filmes e criando uma nova maneira de fazer publicidade na cultura pop

Embora hoje veja a concorrência crescer , a Netflix começou como um negócio inovador e passou muito tempo reinando sozinha no streaming . Conforme a empresa foi crescendo e criando suas produções originais, cresceu também sua presença on-line.

Netflix aposta em aproximação com público conectado e garante a fidelidade dos espectadores
Reprodução
Netflix aposta em aproximação com público conectado e garante a fidelidade dos espectadores

Concebida para a internet, é natural que a Netflix tenha um público-alvo mais jovem, e foi pensando nele que a empresa acabou desenvolvendo uma nova maneira de fazer a publicidade de suas produções, embora a empresa tenha optado por não se pronunciar sobre suas estratégias nesse sentido. 

Gretchen, Valesca Popozuda, Inês Brasil, Evaristo Costa, Narcisa Tamborindeguy, Xuxa e até Sandy já entraram na onda e participaram de pequenas esquetes da marca para promover séries como “Orange Is The New Black”, “La Casa de Papel” e “Stranger Things”.

Essas ações acabam criando uma aproximação da empresa com o público, que se sente como um “amigo” da empresa. Isso, aliado ao uso das redes sociais, acaba fazendo com que as pessoas se conectem tanto com a empresa quanto com o produto que ela oferece.

Inovação x Tradição

Netflix
Reprodução
Netflix

De acordo com a especialista em marketing Renata Andreoni, professora do MBA do Ibmec-RJ, essa é uma tendência que as empresas devem aderir no futuro. Ela explica que um dos aspectos que a Netflix trabalha bem é a linguagem informal. “Hoje a gente se sente ouvido. A empresa sabe quem eu sou e quer saber o que eu quero”, explica.  

Leia também: Muito além de “La Casa de Papel”: confira outras séries espanholas da Netflix

Como consequência, os espectadores não pensam duas vezes em compartilhar os conteúdos criados pela empresa, e o marketing se torna quase um “boca a boca virtual”. Renata explica também que conseguir a atenção desses jovens é difícil, por isso a empresa precisar pensar em uma mídia que ele se identifique.

Mas, mesmo pensando nesses temas divertidos que falam com o público conectado, a empresa não deixa de apostar nas mídias tradicionais, como banners e outdoors. “Essas mídias servem para lembrar o consumidor da marca. Você está parado esperando o metrô e vê algo sobre a série. Provavelmente já viu vídeo um vídeo on-line”, explica Renata – dizendo que essa publicidade mais tradicional serve para fixar o que já foi visto on-line.  

Netflix alia a publicidade com uma presença forte das redes i, transformando-se em uma pessoa
Reprodução
Netflix alia a publicidade com uma presença forte das redes i, transformando-se em uma pessoa

Renata considera também as indicações que a plataforma de programas como uma ferramenta de marketing. A empresa tem um algoritmo que faz sugestões de filmes, séries e programas baseado no perfil de quem assiste. Claro que não é 100% eficaz, mas a probabilidade de gostar da indicação é boa, o que vai gerar uma empatia ainda maior.

Netflix and chill

Netflix
Reprodução
Netflix

A Netflix conseguiu se estabelecer como marca de maneira tão eficaz, que se tornou uma expressão popular em inglês. “Netflix and chill” (assistir Netflix e relaxar, em uma tradução bem literal) entrou para a cultura popular. As pessoas são tão envolvidas com a marca que incluem na sua rotina o ato de “assistir Netflix”.

Para Renata, isso tem a ver com a identidade da marca: “a Netflix tem identidade inovadora, ela atende a diversos públicos, tem todo tipo de filme e série (não só para o público jovem), mas é inovadora. Se fosse uma pessoa, seria antenada com o que está acontecendo”, comenta a especialista.

Serve para todo mundo?

Netflix
Reprodução
Netflix

Mas é justamente por já ter nascido dessa forma, que esse comportamento parece fazer tanto sentido. Isso não significa que outras marcas conseguiriam adaptar essa estratégia com a mesma eficiência. A Globo, por exemplo, que também aposta no streaming com o Globo Play, tem uma outra percepção por parte de seu público.

“Ficaria um pouco forçado”, comenta Renata. “(A Globo) não tem essa identidade tão moderna, ficaria parecendo que está plagiando. Precisa pensar em estratégia que se alie a identidade da marca”, completa.

Leia também: Netflix x Globo Play: emissora carioca entra na briga por produções gringas

Existem várias maneiras de promover uma programação, uma nova atração, um filme. Os mais tradicionais, claro, se manterão justamente por essa lembrança que Renata comentou. Mas, num futuro onde a Netflix é vanguardista, as empresas terão que se adaptar a essa nova comunicação e apostar nessa amizade com os usuários.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.