Tamanho do texto

Nathalia Dill permanece forte como Elisabeta, que tem ao lado um núcleo jovem, romântico, empoderado, diverso e engraçado até o fim da trama!

A novela "Orgulho e Paixão" chegou ao fim na última segunda-feira (24), apresentando uma boa trama até o fim. Escrita por Marcos Bernstein, livremente inspirado nos romances Razão e Sensibilidade (1811), Orgulho e Preconceito (1813), Mansfield Park (1814), Emma (1815), A Abadia de Northanger (1818) e Lady Susan (1871) da escritora inglesa Jane Austen, a produção destacou o talento de Nathalia Dill na empoderada Elisabeta Benedito. 

Leia também: “Orgulho e Paixão” mostra que investir em núcleos femininos em novelas compensa

Reprodução/GShow
"Orgulho e Paixão" apresenta uma cativante trama romântica inspirada nas obras da escritora inglesa Jane Austen


" Orgulho e Paixão" foi uma bela obra cativante para o público da novela das 18h, que acompanhou a família Benedito e as aventuras particulares das cinco irmãs: Elisabeta, Jane, Cecília, Lídia e Mariana. As poderosas mulheres, que em seu íntimo, lutaram e descobriram desejos, tristezas, amores e aventuras, mostrando principalmente a busca do desejo feminino por mais espaço em uma sociedade tradicional, mas sem deixar de lado a vivência de um grande amor.

Os diferentes amores em "Orgulho e Paixão" 

Ema e Ernesto, um dos casais favoritos de
Globo/Paulo Belote
Ema e Ernesto, um dos casais favoritos de "Orgulho e Paixão"






Se no início, Elisabeta e Darcy (Thiago Lacerda), Ema (Agatha Moreira) e Ernesto (Rodrigo Simas), a Rainha do Café (Gabriela Duarte) e Aurélio (Marcelo Faria), formavam os casais brigões, por fim, o amor venceu de tal maneira que ressaltou a particularidade, mas respeito e união entre eles.

As outras Beneditos também seguiram a linha do felizes para sempre, Jane (Pâmela Tomé) e Camilo (Maurício Destri), Lídia (Bruna Griphao) e Randolfo (Miguel Rômulo), Mariana (Chandelly Braz) e Coronel Brandão (Malvino Salvador) e Cecília (Anajú Dorigon) e Rômulo (Marcos Pitombo). Outro casal que superou os preconceitos da sociedade foi Luccino (Juliano Laham) e Otávio (Pedro Henrique Müller), que mostraram de forma forte a construção de um amor gay. 

Leia também: “Orgulho e Paixão” cativa com atrizes veteranas em forma e bons coadjuvantes

Personagens cativantes

Susana (Alessandra Negrini) e Petúlia (Grace Gianoukas) foram as personagens cômicas e malvadas em
Gshow/Divulgação
Susana (Alessandra Negrini) e Petúlia (Grace Gianoukas) foram as personagens cômicas e malvadas em "Orgulho e Paixão"


Susana (Alessandra Negrini) achou que ia escapar por cima, mas no fim, foi Petúlia (Grace Gianoukas) que saiu por cima, ao virar madame e mandar na malvada. A parceria cômica entre as duas teve química e supreendeu até com a ideia final de uma chuva de tinta não planejada, mas que coloriu o Vale do Café. 

Elenco de
Divulgação/GShow
Elenco de "Orgulho e Paixão" no último capítulo da novela

Com um elenco jovem, o último capítulo não teve tantas supresas, mas sim fechou um ciclo forte que teve início desde o primeiro capítulo, com histórias indivuduais cativantes e cheias de brilho. 

Leia também: Globo resgata atores para "Orgulho e Paixão", próxima novela das seis

Após o sucesso de " Orgulho e Paixão ", a expectativa fica com "Espelho da Vida", que traz João Vicente de Castro em seu primeiro papel de galã na TV. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.