Uma das maiores certezas ao fim do verão americano de 2017 era de que a estafa com sequências que ninguém pediu havia atingido seu ápice. Nada como um verão após o outro para colocar aquele diagnóstico em suspensão. Em 2018, continuações como “Vingadores: Guerra Infinita”, “Os Incríveis 2” e “Jurassic World: O Reino Ameaçado” arrecadaram juntas mais de US$ 4 bilhões.

undefined
Divulgação
Verão americano de 2018 é o quinto mais lucrativo da história

O verão americano de 2018 foi um sucesso tão estrondoso que deixou Hollywood nas nuvens. O faturamento doméstico, ou seja, somente nos EUA, entre o primeiro final de semana de maio e o primeiro final de semana de setembro foi de US$ 4.4 bilhões. A quinta melhor marca de todos os tempos. O recorde é de US$ 4.75 bilhões em 2013.

Leia também: Altos e baixos: O saldo do verão americano no cinema em 2017

O mercado global também trouxe leveza e satisfação aos executivos de Hollywood . O faturamento no período em mercados como Rússia, México, Brasil, China e Inglaterra, entre outros soma mais de US$ 8 bilhões.

Nos EUA, o período de blockbusters registrou um aumento no faturamento de 13,8% em relação a 2017, mas as boas notícias não acabam aí. A frequência também cresceu. O público foi mais ao cinema na temporada de blockbusters em 2018 do que havia ido em 2017. O aumento foi de 9%.

undefined
Divulgação
Cena de Os Incríveis 2: família unida e cúmplice na sequência do filme

“É uma questão de conteúdo. Havia bons filmes que as pessoas queriam ver”, disse o presidente de distribuição doméstica da Warner Bros, Jeff Goldstein, a Variety . “Como indústria, nós fizemos um excelente trabalho de vender filmes para uma audiência que ansiava por eles”.

A temporada foi tão lucrativa que o mês de agosto, onde os estúdios alocam aqueles filmes de médio porte ou investimentos arriscado, registrou crescimento de 30% em venda de ingressos em relação ao mesmo período do ano anterior. “A segunda parte do verão foi melhor do que muita gente esperava”, observou o CEO do IMAX Greg Foster ao The Hollywood Reporter . Os dados são empresa de monitoramento ComScore.

Disney reina no Verão americano

undefined
Divulgação
Wakanda vira palco de uma batalha intergaláctica, mas com ares de filmes como "Coração Valente" e "O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei"

Lançado no final de abril – e com parte de sua contabilidade fora dos dividendos do verão, “Vingadores: Guerra Infinita” se tornou o primeiro filme lançado na temporada a superar a marca de US$ 2 bilhões. Os outros, “Avatar”, “Titanic” e “Star Wars: O Despertar da Força” foram lançados no final do ano.

O terceiro filme do supergrupo da Marvel responderia sozinho por um bom verão da Disney nas bilheterias, mas a empresa ainda teve o hit “Homem-Formiga e a Vespa”, que faturou mais de US$ 386 milhões globalmente e a bem sucedida sequência tardia de “Os Incríveis”, que faturou mais de US$ 1 bilhão. O inesperado flop foi “Han Solo – Uma História Star Wars”, que ainda que tenha faturado US$ 392 milhões mundialmente, os elevados custos – cerca de US$ 200 milhões, o tornam um fracasso.

Se não foi páreo para a Disney, a Warner saiu-se muito bem com “Megatubarão” e “Podre de Ricos”, dois filmes de médio porte que lucraram maravilhas nas bilheterias americanas. O segundo, inclusive, com US$ 140 milhões em caixa, se tornou a comédia romântica mais lucrativa desde “A Proposta” (2009), aquele simpático filme estrelado por Ryan Reynolds e Sandra Bullock.

Leia também: Os altos e baixos dos blockbusters no verão americano de 2016

undefined
Divulgação
"Podres de Rico" ficou no topo das bilheterias dos EUA por três semanas e já é a comédia romântica mais lucrativa desde 2009

O estúdio faturou, ainda, com produções como “Rampage – Destruição Total”, “Te Peguei” e “Oito Mulheres e um Segredo”.  

Abaixo apontamos os grandes vencedores e perdedores da mais concorrida temporada do cinema americano.

Vencedores

Franquias

Depois de uma temporada horrorosa em 2017, elas se revitalizaram em 2018. Ajudou o fato de serem defendidas por bons filmes como “Guerra Infinita”, “Missão Impossível: Efeito Fallout” e “Os Incríveis 2”. Mesmo um filme largamente mal avaliado pela crítica como “Jurassic World: O Reino Ameaçado” se saiu bem nas bilheterias.

Jason Statham

undefined
Divulgação
Jason Statham, o único astro de ação raiz que despontou nos últimos 20 anos, em cena de "Megatubarão", que estreia nos cinemas em 9 de agosto

O astro britânico não tinha um filme pra chamar de seu desde o último “Carga Explosiva”, lançado em 2008 e com “Megatubarão” pôde mostrar que tem carisma e estatura o suficiente para segurar um blockbuster de verão.

Público feminino

Temporada pensada e desenhada para agradar a homens jovens, o verão americano de 2018 contemplou o público feminino e foi recompensado por isso. Produções como “Podres de Ricos”, “Oito Mulheres e um Segredo” e “Do Jeito que Elas Querem” miravam fundamentalmente as mulheres e foram hits inesperados nas bilheterias.

Perdedores

The Rock

Os filmes capitaneados por The Rock (“Rampage – Destruição Total” e “Arranha-Céu: Coragem sem Limite) faturaram bem internacionalmente, mas falharam em chegar na mítica marca de US$ 100 milhões de bilheteria nos EUA. Uma prova de que o público americano pode ter cansado do astro.

“Star Wars”

undefined
Divulgação
Alden Ehrenreich como Han Solo em cena do filme

A antipatia do público com a nova fase da franquia, agora sob domínio da Disney, atingiu um novo patamar com a prequela dedicada a Han Solo. A crítica execrou o filme e o público não pareceu muito disposto a assisti-lo. Sinal amarelo aceso para a Disney.

Leia também: Netflix ganha Leão de Ouro em Veneza com "Roma", de Alfonso Cuarón

Distopias

“Mentes Sombrias” é um dos maiores fracassos da temporada. Ninguém se empolgou com o lançamento da FOX que passou incólume e despercebido pelos cinemas nesse verão americano .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários