Tamanho do texto

Cantora, atriz, dubladora, dançarina, entre outros artifícios fizeram da estrela um marco na história da sétima arte; relembre alguns momentos

Ícone da cultura pop, a multifacetada Cher começou a trabalhar cedo na indústria do entretenimento, aos 16 anos, e uma das características que marcaram sua carreira (antes do ascenção) foram os altos e baixos.

Leia também: Produtor de Justin Bieber, Henrique Andrade relembra ping pong com Prince

Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema
Divulgação
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema

Admitindo ou não, Cher já fez de tudo. Do sucesso ao fracasso como cantora e atriz, o envolvimento com a bebida, com as drogas, o fracasso em suas relações amorosas, até os recordes e os muitos prêmios recebidos. Sendo admirador ou hater da artista, a impressão que fica é de uma personalidade forte e uma voz única que a ajudaram e a guiaram até seu lugar no pedestal universal das estrelas consagradas.

Leia também: Consagrado, musical “O Fantasma da Ópera” chega ao Brasil com produção de luxo

Prestes a retornar ao cinema como Ruby Sheridan, avó de Sophie, no musical “Mamma Mia! Lá Vamos Nós De Novo” , compilamos os melhores momentos da carreira de Cher nas telonas.

  • Cher em Baixa (“Good Times” - 1967)
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema
Divulgação
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema

Apesar de ter participado do cômico musical “Good Times” em 1967, o longa-metragem “Chastity” foi a grande catapulta de Cher no cenário cinematográfico. Mal recebido pela crítica e pelo público, o filme não obteve grande destaque, mas o melhor estaria por vir.

  • Cher Triunfa (“James Dean, o Mito Sobrevive” - 1982)
Relembre a carreira de Cher no cinema
Divulgação
Relembre a carreira de Cher no cinema

Interpretando uma operária lésbica, Cher finalmente despontou ao sucesso. Ao lado de nomes como Meryl Streep e Kurt Russel, a atriz foi aclamada por sua atuação “nua e crua” e pelo trabalho desempenhado no longa recebeu sua primeira indicação ao Oscar como Melhor Atriz Coadjuvante. Além disso, pelo mesmo trabalho e na mesma categoria, a artista recebeu uma estatueta do Globo de Ouro.

  • Cher Sem Fronteiras (“Marcas do Destino” - 1985)
Relembre a carreira de Cher no cinema
Divulgação
Relembre a carreira de Cher no cinema

Três anos depois após cair na graça dos cineastas, do público e da crítica, Cher retornou ao sets de filmagem para gravar “Marcas do Destino”. Dirigido por Peter Bogdanovich, o longa estreou em terceiro lugar na bilheteria dos Estados Unidos e foi considerado seu primeiro sucesso comercial e de crítica como atriz principal.

Por sua atuação como mãe de um garoto desfigurado (Eric Stoltz), ela ganhou o prêmio de melhor atuação feminina no Festival de Cannes e recebeu uma indicação ao Globo de Ouro de melhor atriz em filme dramático.

  • Cher em Ascensão (1987)
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema
Divulgação
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema

Agora consagrada como atriz, em 1987 Cher retornou ao cinema três vezes. Ela interpretou uma advogada no suspense “Sob Suspeita”, com Dennis Quaid; foi escalada como uma das três protagonistas femininas na comédia de humor negro “As Bruxas de Eastwick”, com Jack Nicholson, Susan Sarandon e Michelle Pfeiffer; e estrelou a comédia romântica “Feitiço da Lua”, dirigida por Norman Jewison, com Nicolas Cage e Olympia Dukakis.

Por sua atuação como uma contadora desajeitada em “Feitiço da Lua”, ela ganhou o Oscar de Melhor Atriz de 1987. Já considerada uma das atrizes de cinema mais aclamadas da década, ela também conquistou o Globo de Ouro de melhor atriz em comédia ou musical e o People's Choice Award na categoria de estrela feminina favorita.

  • Cher do Outro Lado da Câmera (“Fiel, Mas Nem Tanto” - 1996)
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema
Divulgação
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema

Em 1996, Cher estrelou o mal recebido filme “Fiel, Mas Nem Tanto”, com Ryan O'Neal e Chazz Palminteri, e fez sua estreia como diretora de cinema no controverso drama sobre aborto “O Preço de Uma Escolha”, com Demi Moore, Sissy Spacek e Anne Heche, que atraiu a maior audiência por um filme original da história da HBO. Ela também co-estrelou o último, ganhando uma indicação ao Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante em televisão.

  • Cher e a Panela Velha Que Faz Comida Boa (“Burlesque” - 2010)
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema
Divulgação
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema

Em 2010, a artista retornou ao cinema com o musical “Burlesque”, ao lado de Christina Aguilera.  Cher também contribuiu para a trilha sonora do filme com duas canções: Welcome to Burlesque e a balada escrita por Diane Warren You Haven't Seen the Last of Me .

A última ganhou o Globo de Ouro de melhor canção original, foi indicada ao Grammy de melhor canção escrita para mídia visual e chegou à primeira posição nas paradas dance americanas, fazendo dela a única artista a ter um hit número 1 em uma parada da Billboard em cada uma das últimas seis décadas.

  • Cher é Atemporal? (“Mamma Mia! Lá Vamos Nós De Novo” - 2018)
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema
Divulgação
Relembre os momentos de Ouro de Cher no Cinema

Leia também: Jarbas Homem de Mello: a carreira, as opiniões e os planos do astro dos musicais

Após quase uma década de “Burlesque”, Cher está retornando aos cinemas com a continuação da franquia “Mamma Mia”. Especialista no gênero musical e dona de um humor e voz únicos, a expectativa para o longa-metragem é grande e o fato da personagem ter pouca visibilidade não deve assustar, afinal, como diria Milan Kundera: “Não existem papéis pequenos, só atores pequenos”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas