Tamanho do texto

Estrelado por Lina Mendes e Thiago Arancam, o espetáculo britânico está marcado para estrear no dia 2 de agosto, no Teatro Renault, em São Paulo.

Diretamente de Paris, “O Fantasma da Ópera”, musical mais longevo da Broadway, chega às profundezas do Teatro Renault após 13 anos de sua primeira montagem no Brasil. Estrelado por Lina Mendes e Thiago Arancam a peça está marcada para estrear dia 2 de agosto.

Leia também: Jarbas Homem de Mello: a carreira, as opiniões e os planos do astro dos musicais

O Fantasma da Ópera chega ao Brasil com superprodução de luxo
Divulgação
O Fantasma da Ópera chega ao Brasil com superprodução de luxo

Inspirado no drama de Gaston Leroux, “O Fantasma da Ópera” narra a história de um homem, que por nascer com um erro congênito no rosto, mora no subterrâneo de uma casa de ópera. Detentor de talento inabalável, o clímax acontece quando ele se apaixona por uma linda soprano que, por sua beleza, conquista os encantos de um Visconde.

Leia também: Maria Fernanda Cândido retorna ao teatro após final de "A Força do Querer"

O Tempo Parou Para o Fantasma

O Fantasma da Ópera chega ao Brasil com superprodução de Luxo
Divulgação
O Fantasma da Ópera chega ao Brasil com superprodução de Luxo

Com exceção das melhorias tecnológicas que o tempo pôde proporcionar, a peça não aparenta querer se distanciar do roteiro tradicional que a consagrou. Muito pelo contrário, dirigido por Harold Prince, o triângulo amoroso não emana nenhum elemento atual.

Lina Mendes, a protagonista da obra, afirmou em coletiva de imprensa: “É um espetáculo de época, a Christine é uma jovem de época. Não posso fazer uma Christine mais empoderada, é preciso manter os costumes. Nosso objetivo é garantir a integridade do espetáculo”.

Tradicionalmente composto por brancos, os diretores foram questionados sobre a falta de negros no espetáculo que contém quase 200 artistas, sobre isso a resposta foi sucinta: “Quando fazemos as audições não vemos cor e sim talento”, comentou Harold Prince.

Em contrapartida a diretora brasileira Rachel Ripani alertou que houve procura por negros para participar do espetáculo, inclusive do elenco principal, mas que infelizmente o mercado da ópera e teatro no Brasil são carentes de talento: “a nossa Carlota por, exemplo, tem raízes afrodescendentes”, disse se referindo a antagonista da peça.

O Fantasma da Ópera Mais Caro do Mundo

O Fantasma da Ópera chega ao Brasil com superprodução de Luxo
Divulgação
O Fantasma da Ópera chega ao Brasil com superprodução de Luxo

Em coletiva de imprensa, os responsáveis pela execução da peça no Brasil também fizeram questão de evidenciar que a crise econômica no País não enfraqueceu em nenhum aspecto a obra: “Temos patrocinadores muito generosos. Aliás, não apenas nada faltará, como a peça no Brasil é uma das mais caras. O Lustre (icônico objeto da peça) por exemplo, é o maior do mundo”, comentou Harold.

Além da atenção dada a obra no geral, o Fantasma também contará com máscaras exclusivas feitas sob medida e que poderão mudar a maneira como o assombrado personagem é visto pelo público: “Dependendo do ângulo, a máscara pode passar um sentimento diferente. É uma obra de arte à parte”, disse Rachel Ripani, também diretora da peça.

Leia também: "A Porta da Frente" traz desconstrução de preconceitos para o palco do teatro

Cheio de canções que arrepiam, “O Fantasma da Ópera” é uma terapia de imersão onde o espectador é convidado a mergulhar no coração de Christine, nas confusões patológicas do Fantasma e no amor incondicional de um belo Visconde. Em cartaz há 30 anos, o segredo do sucesso está, agora, no Teatro Renault e pode ser conferido a partir do dia 2 de agosto.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.