Tamanho do texto

Narrativamente esgotada e com audiência em queda, programa vive fuga de protagonistas e drama nos tribunais; Angela Kang assume produção da série

Não é de hoje que "The Walking Dead", cuja nona temporada está prevista para estrear em outubro, atravessa mau momento. Audiência em queda, processos judiciais, troca de produtores e qualidade narrativa questionada já fazem parte da rotina da produção há algum tempo. 

Leia também: 8º ano de "The Walking Dead" chega ao fim com acerto de contas de Negan e Rick

Rick (Andrew Lincoln) com Lucille em chamas, uma das cenas mais marcantes da atual temporada
Divulgação
Rick (Andrew Lincoln) com Lucille em chamas, uma das cenas mais marcantes da atual temporada

Às vésperas do lançamento da nona temporada, no entanto, os problemas de "The Walking Dead" parecem ganhar nova dimensão. Após a saída do contestado Scott M. Grimple do controle da série, Angela Kang assumiu o posto de showrunner. A primeira mulher a comandar a série já avisou que haverá um salto temporal no novo ano.

A nona temporada terá a despedida de Andrew Lincoln da série. O intérprete de Rick Grimes só assinou contrato para metade dos 16 episódios da temporada e a base de fãs está exasperada na internet. Pesquisa promovida pelo site Reddit sinaliza que 44% dos fãs que ainda acompanham a série deixariam de fazê-lo caso Lincoln saia da série. Certamente, ainda que o levantamento seja informal, um dado como esse preocupa os produtores. 

Na última semana, a produção confirmou o retorno de Jon Bernthal, que viveu Shane, nos dois primeiros anos do programa. Não se sabe ao certo como será seu retorno, mas se sabe que será apenas uma participação especial e em um episódio. É provável que seja algum tipo de flashback ou devaneio. Seu retorno pode ser percebido como um esforço da produção para conter a fúria dos fãs.

A tentiva de fidelizar fãs descontentes está em pleno vapor. Lauren Cohen, a Maggie, também está bastante insatisfeita com a produção e vinha pedindo reiterados aumentos para se manter no casting. Ela também deve deixar o elenco no nono ano. A produção tenta aumentar o salário de Norman Reedus, adorado pelos fãs e que tem uma boa relação com o canal AMC, e promovê-lo a protagonista. Mas Daryl estava bem secundário nos últimos anos e isso pode ser um problema narrativo crasso para o futuro.

Problemas legais

Frank Darabont está levando a melhor no processo contra o canal que produz The Walking Dead e Jon Bernthal está de volta para acalmar a fúria dos fãs
Divulgação
Frank Darabont está levando a melhor no processo contra o canal que produz The Walking Dead e Jon Bernthal está de volta para acalmar a fúria dos fãs

Além da necessidade de equacionar conflitos e expectativas em sua linha de produção, a série vive um drama nos tribunais. O criador e produtor da série em seus dois primeiros anos, Frank Darabont , está levando a melhor em um processo de cerca de US$ 300 milhões contra o AMC. Darabont argumenta que o canal reteve os lucros obtidos com o show e não transferiu o que era dele por contrato. Na ação contra a empres, Darabont aponta indícios, inclusive, de lavagem de dinheiro. Ou seja, os problemas podem se agravar subitamente para o canal e para a série.

Leia também: 100º episódio escancara ruindade atual de "The Walking Dead"

"The Walking Dead" é exibida no Brasil pelo canal FOX e a previsão de estreia da nona temporada por aqui também é para outubro.

    Leia tudo sobre: The Walking Dead
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas