Tamanho do texto

A banda reuniu "a macacada" em um show com tom comportado e clima intimista para o DVD acústico; a turnê deve chegar a São Paulo em breve

Um ano. Esse foi o tempo necessário para que Rogério Flausino , Marco Túlio , Márcio Buzelin, PJ e Paulinho Fonseca, integrantes do Jota Quest, ficassem junto à sua equipe de produção em um estúdio próprio em Belo Horizonte, Minas Gerais, preparando o primeiro show acústico da banda . Em uma conversa com o iG Gente , a banda contou um pouco mais sobre o que os fãs podem esperar do " Acústico Jota Quest - Músicas Para Cantar Junto ", que marca a fase "comportada" do grupo depois de 20 anos. 

Leia também: Com 20 anos, Jota Quest reinventa som: "Na crise que descobrimos novos caminhos"

Jota Quest em sua versão desplugada na comemoração de seus 20 anos
Divulgação / César Ovalle
Jota Quest em sua versão desplugada na comemoração de seus 20 anos







"Fazer esse acústico tem um pouco de sonho", comenta logo no início do papo o vocalista do Jota Quest , Rogério Flausino. Segundo o músico, desde 1996, quando lançaram o seu primeiro álbum, eles cogitavam desplugar suas canções. "A gente era muito novo e não tinha ainda repertório suficiente para fazer o acústico", justifica o cantor sobre a demora da banda em ter, finalmente, apresentado esse formato - tão em alta nos anos 90 - aos seus fãs. 

Leia também: Rock melódico e expoentes da música brasileira marcam quinto dia

O Jota chega à segunda década: comportados
Divulgação / César Ovalle
O Jota chega à segunda década: comportados

O tempo, então, passou e o Jota completou duas décadas de carreira. A essa altura, conforme contam, fazer o acústico pareceu ser o projeto audiovisual ideal para comemorar a maturidade da banda depois de tanto tempo.

"Foram sete meses de pré-produção em um processo que começou em novembro do ano passado e nos reaproximou. Acabamos nos redescobrindo", diz Flausino. E quem quiser encontrar essa nova versão do Jota irá se deparar com uma cara mais comportada da banda - que é conhecida por apresentações agitadas e de público dançante.  

"As vezes preciso segurar a onda do Rogério", brinca Marco Túlio, guitarrista da banda. O vocalista, que agora sustenta cabelos grisalhos do alto de seus 45 anos, continua com pique de garoto e, mesmo com ânimos contidos nessa versão "violão e banquinho", de vez em quando arrisca se levantar durante os sons mais agitados.

O guitarrista também afirma que todo esse processo de mudança foi uma verdadeira guinada de 180 graus em suas rotinas. "Eu sou um guitarrista que tocou violão. As pessoas pensam que quem toca guitarra automaticamente já toca violão e não é bem assim.  Precisamos refazer um repetório inteiro para esse outro formato" ele comenta.

Para ele, essa nova "personalidade" representa um período de mudanças. "É um momento muito legal, um grande crescimento como instrumentista. Estamos nesse periodo de transição", ele conta.

Jota Quest durante os bastidores da apresentação de seu show acústico
Divulgação / César Ovalle
Jota Quest durante os bastidores da apresentação de seu show acústico



Ensaios e mais ensaios

Reinventar novos arranjos foi o maior desafio do grupo
Divulgação / César Ovalle
Reinventar novos arranjos foi o maior desafio do grupo

Os meses de pré-produção para o acústico foram, conforme conta Flausino, "uma reaproximação com a própria história da banda". Para chegarem até à decisão final do repertório, foram feitas três listas: a primeira - mais tranquila - com os maiores sucessos. As outras duas listas abrangeram hits inéditos e  composições que fizeram parte dos álbuns, mas não são tão conhecidas do grande público.

Todos da banda concordam que a maior dificuldade na produção do projeto acústico do Jota Quest foi refazer os arranjos das canções já tocadas há tanto tempo. "Sempre falo que todo o processo de produção técnica realizado para o acústico foi, na verdade, uma descontrução nossa para que a gente pudesse nos reconstruir depois", declara o tecladista Márcio Buzelin. Ele também reflete: "todo o trabalho de construção técnica, sem perder a essência das músicas, foi muito mais dificil do que tínhamos imaginado". 

O resultado desse desafio foi gravado "ao vivo" entre os dias 11 e 12 de maio e contou com a produção de Liminha - que os acompanha desde o início da carreira - e direção de  Joana Mazzucchelli . Os mineiros apresentaram à uma plateia previamente selecionada com amigos, familiares e fãs, 25 faixas totalmente reformuladas para o formato desplugado, incluindo, além de canções inéditas, os já conhecidos sucessos da banda.  

Músicas inéditas e parcerias 

O "Acústico Jota Quest - Músicas Para Cantar Junto" traz, além das canções já conhecidas, outras três composições inéditas em novas parcerias com os cantores Alexandre Carlo (do Natiruts), Wilson SideralLeoni . A canção Morrer de Amor , composta por Carlo, é uma
canção inspirada nos versos do poeta gaúcho Mário Quintana.

Rogério Flausino e Marcelo Falcão, ex-vocalista do O Rappa, nos bastidores do acústico do Jota Quest
Divulgação / César Ovalle
Rogério Flausino e Marcelo Falcão, ex-vocalista do O Rappa, nos bastidores do acústico do Jota Quest


Flausino recebe Milton Nascimento para dar voz a
Divulgação / César Ovalle
Flausino recebe Milton Nascimento para dar voz a "O Sol"

A apresentação contou com as participações especiais de Milton Nascimento e Marcelo Falcão (ex-vocalista do O Rappa ). "Nos anos 2000, o Milton já tinha cantado com a gente e ao longo desse tempo a gente veio se reencontrando e sempre estivemos muito próximos", declarou Flausino sobre a parceria.

Em 2010, o cantor veterano gravou o hit O Sol , que havia sido gravado antes pelo Jota Quest, e chamou os mineiros para entonarem o som com ele. No show acústico eles dão voz justamente ao referido sucesso. 

"Já o Falcão é um super amigo nosso e já havia cantado com a gente antes", conta o vocalista sobre a participação mais do que especial de Falcão. Eles apresentam a inédita Você Precisa de Alguém, que compuseram em conjunto.

Turnê

Novo trabalho do Jota Quest - comemorando os 20 anos da carreira do grupo
Divulgação
Novo trabalho do Jota Quest - comemorando os 20 anos da carreira do grupo

O Jota Quest sempre foi conhecido por ser uma banda "alto astral" e, ao mesmo tempo, trazer discursos opinativos sobre a política e a situação do País. Durante a apresentação dos músicos no Rock in Rio deste ano, por exemplo, eles levantaram a bandeira pelo fim da corrupção no Brasil e o fim da violência, promovendo um enorme "abraçaço" entre o público.

"Acho q somos uma banda que tem uma vibração mais positiva. É uma caracteristica nossa", comenta o Buzelin, que completa: "é um paradoxo no mundo q vivemos com tanto individualismo, violência e competição".

Por enquanto os músicos se dedicam totalmente a levar a novidade acústica ao maior número possível de fãs. Rogério Flausino declara: "fazer os shows do acústico é completamente novo e está muito legal mostrar para as pessoas esse novo momento".

Leia também: Livro traz bastidores do rock brasileiro pelo olhar dos próprios roqueiros

A banda pretende passar pela maioria das capitais do Brasil até o fim dos shows - o que deve acontecer no Rio de Janeiro , no final do primeiro mês do próximo ano. Em São Paulo , o Jota Quest apresenta o seu acústico pela primeira vez no próximo dia 11/11 (sábado), no Espaço das Américas. Os ingressos podem ser adquiridos no site Tickets 360.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.