Tamanho do texto

“The Queen´s Justice” foi episódio cheio de grandes momentos e o maior deles nem sequer foi o aguardado encontro entre Jon Snow e Daenerys Targaryen. Contém spoilers

Ainda que menos movimentado do que “Stormborn” , o segundo episódio da temporada, “The Queen´s Justice” foi mais um episódio bem ao feitio de “Game of Thrones”: se piscar perde algo vital do episódio e da trama costurada ao longo dos anos pelos criadores da série.

Leia também: Quarta temporada de "Transparent" ganha trailer e data de estreia; assista

O aguardado encontro finalmente aconteceu em Game of Thrones
Divulgação
O aguardado encontro finalmente aconteceu em Game of Thrones


O episódio abre com Jon Snow ( Kit Harrington ) e Sor Davos ( Liam Cunningham ) chegando à Pedra do Dragão e sendo recebidos por um espirituoso Tyrion ( Peter Dinkalage ) e uma desconfiada Missandei ( Nathalie Emmanuel ). A audiência com Daenerys Targaryen ( Emilia Clarke ) se deu de maneira tensa e irresoluta – um dos momentos mais aguardados pelos fãs de “Game of Thrones” entregou em matéria de densidade e dramaticidade o que se podia esperar.

Leia também: Nova série da Amazon, "The Last Tycoon" leva a era de ouro do cinema para a TV

Jon Snow foi muito mais convicto e firme do que muitos poderiam supor e, como era de se esperar, esbarrou no ceticismo de Daenerys. Mantido informalmente como prisioneiro após se recusar a ajoelhar-se e jurar lealdade a mãe dos dragões – e o momento em que Missandei anuncia os títulos de Daenerys foi mais um daqueles momentos de humor bem fabricado em meio à tensão do momento – o rei do Norte conta com a astúcia e perspicácia de Tyrion para viabilizar seu acesso ao vidro de dragão em uma tentativa do mão da rainha de costurar uma aliança com o (ainda) bastardo de Ned Stark.

Leia também:  Desenhista de "Game of Thrones" diz como mantém segredos da série: "calo a boca"

A movimentação de Tyrion é providencial porque Daenerys sofre outra derrota para Cersei (Lena Headey) que consegue derrotar os Tyrell. Enquanto isso, em Winterfell, Bran (Isaac Hempstead-Wright) se reúne a Sansa (Sophie Turner) e se revela como o Corvo de três Olhos e, friamente, a alerta de que “precisa falar com Jon”. Todos nós sabemos o que ele tem a revelar e potencial desestruturante dessa revelação para o jogo dos tronos. Não sabemos ao certo o que Melisandre (Carice Van Houten) “profetizou” para Lorde Varys (Conleth Hill) em uma conversa nada amistosa que tiveram enquanto Jon chegava à Pedra do Dragão. Ela disse que voltaria a Westeros por uma última vez para morrer, assim como ele. E Varys tremeu na base, mas não pareceu particularmente surpreso pelo enigma lançado pela feiticeira vermelha.

Cersei realiza mais uma vingança em Game of Thrones
Divulgação
Cersei realiza mais uma vingança em Game of Thrones

Leia também: Ator de "Game Of Thrones" revela: "Euron sabe que vai morrer"

Despedida em grande estilo

Euron (Johan Philip Asbaek), como esperado, deu a Cersei seu presente. Era Ellaria Sand (Indira Varma) e suas duas filhas vivas – a outra morrera durante o assalto de Euron à frota comandada por Yara (Gemma Whelan). Cersei prometeu ao rei das ilhas de ferro o que ele almeja depois do fim da guerra para desconforto de Jamie (Nicolaj Coster Waldau). Aí reside o único ponto de atrito entre Jamie e Cersei, pois ele não tolera a ideia de Euron entre eles.

Se Cersei está tendo todas as vinganças que almeja – e isso vem desde o início do show – Olenna Tyrell (Diana Rigg), encurralada pelos Lannister em sua própria casa, negou-lhe uma vingança a muito adiada – a morte de Joffrey (Jack Gleeson). Em uma cena de alta voltagem – e pouco depois de ser envenenada por Jamie em um ato de declarada clemência – Olenna o instrui a relatar a Cersei de sua vitória amarga. Uma cena que reafirma o valor narrativo de “Game of Thrones”. O esmero criativo e o rigor imaginativo de George R.R. Martin na confecção dessa história tão extraordinária, épica e ressonante.