Tamanho do texto

“Stormborn” mostrou reis em provação, uma cena de sexo peculiar,piscou para teorias de fãs e deu a Euron Greyjoy um momento inesquecível. Atenção contém spoilers da 7ª temporada

Jon Snow em cena do segundo episódio da sétima temporada de
Divulgação
Jon Snow em cena do segundo episódio da sétima temporada de "Game of Thrones"

Não há tempo a perder e com a proximidade do fim, “Game of Thrones” parece mais acelerado do que nunca. “Stormborn”, segundo dos sete episódios que compõe a sétima e penúltima temporada da aclamada série da HBO . Após uma season premiere destinada a situar as peças no tabuleiro, como tradicional no show, o segundo capítulo teve ritmo frenético. Além de alianças sendo forjadas, teorias de fãs sendo abordadas frontalmente e uma cena de amor inusitada, tivemos uma batalha épica e a consolidação de Euron Greyjoy (Johan Philip Asbæk) como destinatário do ódio que a audiência certa vez dispensara para Joffrey (Jack Gleeson) e Ramsay (Iwan Rheon).

Leia também: O que esperar da nova temporada de "Game of Thrones"?

O episódio começou com o núcleo da Pedra do Dragão reunido em audiência. Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) confrontou Lorde (Conleth Hill) e seu histórico de deslealdade com seus reis. Ficou acordado que ele não lhe ofertaria lealdade cega e que ela o queimaria vivo em caso de traição. O papo ameno foi interrompido pela chegada de uma sacerdotisa vermelha. Nada mais, nada menos do que Melisandre (Clarice Van Houten).O breve, porém intenso e incendiário diálogo entre elas, pôs em evidência uma das mais recorrentes teorias dos fãs de “Game of Thrones” . Sobre a identidade do príncipe que foi prometido, o legendário Azor Ahai, elemento fundamental da profecia do senhor do fogo e que a feiticeira vermelha já julgou ser Stannis Baratheon.

Leia também: Após crise, Casa Stark espera redenção no novo ano de "Game of Thrones"

“Você pensa que sou eu”, indagou Daenerys. “Profecias são perigosas, minha rainha. Mas eu acredito que você tem um papel a cumprir. Assim como outro. Eu acho que deveria convocar Jon Snow, o Rei do Norte, e ouvir o que ele tem a dizer. O que ele já viu”, externou a feiticeira que parece convicta, assim como todos nós, que Jon Snow é figura vital nesse xadrez entre vivos e mortos.

“Game of Thrones” abarca teorias e prepara encontros esperados
Divulgação
“Game of Thrones” abarca teorias e prepara encontros esperados

Convite recebido, Jon Snow (Kit Harington) precisou vencer a resistências das casas sob seu comando no Norte, e da própria irmã, para aceitar a solicitação encaminhada por Tyrion (Peter Dinklage). Ele já está de posse da informação enviada por Sam Tarly (John Bradley-West) de que há abundância de vidro de dragão, a substância necessária para forjar armas capazes de destruir os White Walkers, na Pedra do Dragão. Sua agenda com Daenerys, portanto, e o encontro acontece já no próximo episódio, será travar uma aliança com vistas a destronar Cersei, mas também medir forças contra a ameaça que vem de além da muralha.

Frenesi

Não foi apenas Jon Snow quem precisou se testar como rei neste episódio. Se Cersei (Lena Headey) precisou apelar ao instinto de sobrevivência dos nobres de King´s Landing – e nos bastidores estudar maneiras de matar dragões -, Daenerys precisou impor-se para fazer valer a estratégia traçada por Tyrion para conquistar King´s Landing sem um massacre. A ideia tinha resistência porque tanto Elladira Sand (Indira Varma) como Olenna Tyrell (Diana Rigg) querem vingar-se sangrentamente de Cersei. Veio desse desarcordo formal um dos grandes momentos do episódio. Após a decisão de pôr o plano de Tyrion em ação, Olenna e Daenerys convesaram a sós. “O Mão da Rainha é um homem muito inteligente”, observou a matriarca dos Tyrell. “Eu conheci muitos homens inteligentes e sabe por que sobrevivi a todos eles? Por que os ignorei”, expôs para uma entusiasmada Daenerys. “Seja um dragão”, aconselhou.

E talvez seja o jeito mesmo para Daenerys, já que Euron Greyjoy encurralou a frota liderada por sua sobrinha e destruiu a estratégia de Tyrion provendo a primeira vitória de Cersei antes mesmo da guerra começar de fato.De quebra, devolveu ao redimido Theon (Alfie Owen-Allen) sua fama de covarde.

De volta para casa

Foi um episódio mesmo de muitos encontros e alguns reencontros. Em sua cruzada para matar Cersei, Arya (Maise Williams) reencontrou Torta Quente (Ben Hawkey), que lhe deu a boa nova de que Jon Snow vencera a Batalha dos Bastardos e se consagrara o Rei do Norte. Arya decide regressar a Winterfell e nos deixar salivando por mais um reencontro.

O pequeno conselho da mãe dos dragões reunido
Divulgação
O pequeno conselho da mãe dos dragões reunido

Enquanto isso na Cidadela, Sam se incumbe de tentar salvar a vida de Jorah (Iain Glen). Mas o encontro mais peculiar do episódio foi mesmo entre Verme Cinzento (Jacob Anderson) e Missandei (Nathalie Emmanuel). Eles finalmente se entregaram à luxuria do desejo após um  momento singelo registrando, talvez pela primeira vez na TV, uma cena de sexo envolvendo um eunuco.

Leia também: O que Euron Greyjoy vai fazer na nova temporada de "Game of Thrones"?Fonte: 

“Stormborn” foi um episódio intenso. Daqueles que atestam a grandeza épica e visceral de “Game of Thrones”. Aos fãs boquiabertos, resta a certeza de que o fim está próximo. Mas até lá será uma jornada e tanto.