Tamanho do texto

Produtor de filmes como "Oblivion" e ""Tron - O Legado" bateu um papo com o iG sobre o maior sucesso de sua carreira e que chega em Blu-Ray neste mês

O maior sucesso de bilheteria do ano até o momento chega ao mercado de home e vídeo no fim do mês, mais precisamente no dia 28. Com mais de US$ 1.247 bilhão em faturamento global, “A Bela e a Fera” tem tudo para registrar sucesso equivalente no sell-thru e nas plataformas on demand. A Disney , claro, está feliz da vida com os resultados apresentados pela produção dirigida por Bill Condon e estrelada por Emma Watson , mas não está sozinha.

Leia também: Novo “A Bela e a Fera” atualiza encanto de um dos maiores clássicos da Disney

Cena do filme A Bela e a Fera, que estreia nesta quinta-feira (16) nos cinemas do Brasil
Divulgação
Cena do filme A Bela e a Fera, que estreia nesta quinta-feira (16) nos cinemas do Brasil

O iG bateu um papo com Steve Gaub , produtor experimentado que atua há mais de 20 anos em Hollywood e tem entre seus créditos produções como “Oblivion” (2013), ficção científica estrelada por Tom Cruise, “Tron – O Legado” (2010) e “O Exterminador do Futuro: A Salvação” (2009). “A Bela e a Fera” é seu 13º crédito como produtor, mas é o primeiro a ultrapassar a marca do bilhão de dólares em faturamento. “É uma daquelas coisas que você pode dizer: ‘nunca vão tirar da gente”,  se diverte Gaub.

Leia também: Porta-Voz de uma geração, Emma Watson vira princesa Disney e doma o sucesso

Feliz pela conquista de toda a equipe – e Emma Watson tinha uma cláusula em seu contrato elevando seus vencimentos caso o filme superasse a tal marca – o produtor conta que muita gente que fingia que ele não existia resolveu aparecer. “ O mais curioso é que muita gente que não falava comigo há muito tempo me ligou parabenizando pelo filme... e eu tenho feito isso por 20 anos”, observa com ar de incredulidade. “Ou você precisa fazer US$ 1 bilhão para chamar a atenção das pessoas ou algumas delas pensaram que eu tinha algum tipo de participação nessa bilheteria”, se diverte. “Só ganhei na loteria da profunda satisfação criativa”.

História atemporal

Para Gaub, o sucesso do filme se deve essencialmente a sua característica perene e atemporal.  “São duas pessoas tentando achar seu espaço no mundo e acabam encontrando uma a outra”, observa. “É uma história de temas eternos: amor e lealdade, arrependimento e esperança, redenção e perdão”.

Capa do Blu-Ray de A Bela e a Fera, que chega ao Brasil em 28 de junho
Divulgação
Capa do Blu-Ray de A Bela e a Fera, que chega ao Brasil em 28 de junho

Sério candidato ao próximo Oscar nas categorias de canção e principalmente de efeitos especiais, “A Bela e a Fera” é o exemplar mais bem sucedido de uma nova onda em Hollywod, parcialmente capitaneada pela Disney. A de filmes fundamentalmente calcados em CGI (os efeitos especiais totalmente gerados por computador). Na opinião do produtor, essa tendência é irreversível. Ele acha que a releitura de clássicos Disney, outrora animados, nessas versões live-action com grande amparo do CGi tem tudo para quebrar eventuais resistências. “Acho que os jovens querem experimentar esses clássicos de uma maneira concebível em sua percepção de mundo”, defende.

Leia também: Narrativamente econômico, “Logan” empurra filmes de heróis para o futuro

Os efeitos especiais, portanto, são parte destacada do material bônus do Blu-Ray, que também terá uma versão em 3D. Alguns featurettes merecem menção especial como As Mulheres dos Bastidores de “A Bela e a Fera”, focado em Emma Watson e nas mulheres da produção, A Beleza de um Conto, que explora justamente a confecção dos efeitos especiais, e Um Momento com Celine Dion.

"A Bela e a Fera" já pode ser alugado pela plataforma on demand da Rede Telecine nas operadoras Net, Vivo  e pelo portal digital Looke.