Tamanho do texto

Em sua primeira edição, o cantor de rock venceu o concurso e se consagrou como o primeiro cantor de rock a conquistar o título em shows de talentos

Com a voz melódica acompanhada de baterias e guitarras pesadas, o santista Cristopher Clark se arriscou no mundo da música desde cedo, traçando uma trajetória de mais de vinte anos entre acordes e notas do universo do rock. Vocalista da vida noturna, o músico não esperava que a primeira edição do programa  "X Factor" o consagraria como o primeiro cantor de rock do Brasil a chegar ao topo do pódio de um concurso de talentos. O cantor não só levou a melhor, como também agora está lançado o seu primeiro disco homônimo fruto deste sucesso.

Cristopher Clark foi o primeiro vencedor do programa X Factor Brasil
Reprodução
Cristopher Clark foi o primeiro vencedor do programa X Factor Brasil


Leia também: Por que Lana Del Rey não cumpriu o hype?

“Não tem como negar foi surpreendente. Eu entrei no programa com o intuito de divulgar o trabalho e me surpreendi bastante com o resultado. Eu acho que ficou provado que qualquer estilo musical pode vencer. É uma coisa diversificada, o que vale mesmo é identificação do publico”, comentou Cristopher Clark em entrevista concedida ao iG . “Não significa que quem ganhou seja melhor, esse tipo de programa como o 'X Factor' é a identificação. De alguma maneira eu me conectei com o público, tem que existir uma conexão a mais para fazer a coisa acontecer”, completa.

Leia também: Harry Styles deixa 1D para trás e se prepara para ser o maior popstar do mundo

Depois de vencer o concurso em novembro de 2016, Clark teve que correr para os estúdios e começar a gravar o seu primeiro disco, que conta com 14 músicas, sendo quatro delas autorais. A pressa, segundo ele, fez com que ele não conseguisse trabalhar com outros cantores, como Pitty, com quem não conseguiu conciliar a agenda. “Durante o processo durante a minha vida toda eu tive várias bandas de rock e desde que eu era moleque sempre compunha com alguém da banda do momento”, comenta. Cada Palavra , o single que em breve terá um videoclipe, Vamos Viver e O Sol invadiu o Mar  são as canções que o músico escreveu com o apoio do guitarrista da sua banda para o novo disco e, De Coração , veio de presente de um colaborador. “Deixei esse projeto e trabalhei com covers à noite, mas a gente quis voltar à isso de novo”, completa o músico que confessa ter bandas como Titãs, Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso, Foo Fighters e Faith No More como grandes influenciadores do seu trabalho.

Leia também: Kendrick Lamar se consagra como um dos maiores da história com novo álbum

As outras canções presentes no disco, por sua vez, já são bastante conhecidas para quem acompanha as novidades do mundo da música. “Esse é um tipo de trabalho que já estou acostumado a fazer, tocando em bares vida noturna. Eu tive a necessidade de me reinventar. Comecei a aproveitar a possibilidade que eu tinha para cantar essas músicas colocando uma cara da minha banda, que tem essa pegada mais rock e saiu de uma maneira natural”, comenta. “Quando rolou o programa eu segui nesse raciocínio: ‘vou pegar músicas conhecidas e colocar na minha cara’. E funcionou”. De Adele à Chainsmokers, Clark enriquece o seu novo disco com canções como Set Fire to The Rain , Closer e passa até mesmo por artistas como Demi Lovato, Jessie J e Miley Cyrus. Para ele, essa mistura de estilos não é algo novo e inclusive o músico afirma ter pensado em fazer parcerias com outros artistas que trabalham outros gêneros musicais. “É a tendência da música internacional. Fica interessante para os dois lados, um cara do rock que faz parceria com música sertaneja e ambos os públicos escutam. É uma tendência que começou a chegar aqui e tá dando certo, eu acho bacana”, reflete.

Apesar de ter já ter um disco gravado intitulado “Aos 47 do Segundo Tempo”, Cristopher Clark garante que sente mais maduro com essa nova experiência. “Eu acho que eu esto muito mais experiente, mais preparado para qualquer tipo de coisa seja de sucesso ou de trabalho. Além disso, evolui muito como cantor”, explica. Já na sonoridade, Clark comenta que acredita que seu propósito não mudou muito, mas que agora sente que seu som está mais bem definido. “Antes eu misturava um pouco mais estilos musicais, hoje acho que a cara tá um pouco mais desenvolvida”, afirma.

Planos para o futuro

Vencer o "X Factor" foi um grande evento para a carreira de Cristopher Clark e ele afirma que não tem medo de cair no esquecimento mais tarde, com as novas temporadas do programa. “O artista sempre acha uma maneira de mostrar o seu trabalho, seja por programa de televisão ou não”, opina. Assim, seus planos para os próximos meses já são bem certeiros: “expandir ao máximo o som para pessoas e lugares diferentes”, afirma. Voltar a compor, também está na sua agenda e, segundo ele, já tem duas músicas para sair. “Quando eu era mais jovem eu escrevia coisas com um pouco mais de raiva, relacionados a sociedade e politica. Acho que todo mundo já tem suficiente no coração essa raiva então falar de assuntos da minha vida e poder causar essa conexão com as pessoas faz mais sentido no momento”, explica.

Três canções destaques

O disco homônimo do cantor, que já está disponível nas plataformas digitais de streaming, tem alguns destaques que valem a pena serem ouvidos. Vamos Viver , uma das canções autorais de Cristopher Clark relembra os hits do rock nacional no início dos anos 2000, mesclando certo otimismo com os tons melódicos e pesados da guitarra com a força da bateria da banda.   Swimming Pools,  um cover do consagrado rapper Kendrick Lammar é uma experimentação bastante interessante sobre a relação do rock pesado com o rap da canção original, trazendo uma nova roupagem ao hit. Por fim, When I Was Your Man , música de Bruno Mars que foi cantada pelo artista nos seus primeiros dias de "X Factor" e garantiu sua passagem para uma nova fase de sucesso no mundo da música ganhou um registro no novo disco e entra para a lista como uma das canções que também merece destaque pelo ouvinte. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.