Tamanho do texto

Esse editorial tem como objetivo introduzir alguns dos temas das reportagens que serão publicadas no portal nas próximas três semanas

Você está preparado para participar de um debate franco e livre sobre pornografia? Porque esta é parcialmente a proposta da série Sexografia que começa a ser publicada nesta segunda-feira (3) e que ocupa o calendário de abril do iG Gente . A ideia é promover um amplo debate sobre a maneira que nos relacionamos com o sexo, mas em um contexto essencialmente cultural.

Leia também: Quente! Striptease de 20 atrizes que já tiraram a roupa e o fôlego do público

A popstar Miley Cyrus fotografada por Tery Richardson, fotógrafo influente entre as celebridades: entre o artístico e o comercial
Terry Richardson/ Divulgação
A popstar Miley Cyrus fotografada por Tery Richardson, fotógrafo influente entre as celebridades: entre o artístico e o comercial

Um exemplo? Qual a diferença entre a nudez comercial e a nudez artística? E por que a tal da nudez, que parece cada vez mais rotineira, ainda preserva tanto potencial de choque? Fomos saber de fotógrafos, sexólogos e editores de revistas que exploram a nudez o que eles pensam a respeito. A ideia é discutir o sexo , sim, mas de uma maneira construtiva e reflexiva.

Leia também: SP-Arte: confira os destaques da mostra que reúne galerias do mundo todo

Já parou para pensar como muitas transformações sociais no tangente ao sexo estão a reboque da arte? Um bom exemplo é a questão do transgênero, tema que será repercutido na próxima novela das 21h , mas que a arte, inquietante como só ela, já abordou no cinema, na literatura, em performances, etc. A arte devassa aquilo que reprimimos enquanto sociedade, mas também enquanto indivíduo, para provocar um debate para o qual muitas vezes estamos despreparados. Essa série chega para balizar esse debate. Para instrumentalizar a curiosidade de quem, além de praticar, gosta de falar e ler sobre sexo. Sem preconceitos.

Pornografando

A pornografia é um tabu. Podemos concordar quanto a isso. Mas em 2017 deveria ser um tabu? Uma das contribuições que Sexografia almeja prestar é responder essa pergunta com mais propriedade, permitindo ao leitor despir-se de velhos clichês. Você é a favor ou contra a proibição da pornografia na internet? A pergunta é legítima porque tramita no Congresso um projeto de lei para regular o acesso à pornografia online.

Mas e se pornografia for arte? Essa é uma ideia realmente tão ofensiva e inconcebível assim? O que o polêmico cineasta dinamarquês Lars Von Trier, bastante gráfico em filmes como “Os Idiotas” (1998), “AntiCristo” (2009) e no díptico “Ninfomaníaca” (2013) diria? A sueca Erika Lust não ostenta a fama do dinamarquês, muito menos o prestígio, mas se empenhou em mostrar que o pornô pode ser feminista sim. Duvida? Nossa série tem uma matéria para desarmar eventuais céticos.

Cena de
Reprodução
Cena de "Ninfomaníaca", de Lars von Trier

O brasileiro consome muito pornô e o nosso país é tido como um dos grandes polos dessa indústria que muita gente anda dizendo que está em crise, mas sabia que não está? É mais um lugar-comum que relativizamos em uma matéria que vai ao ar no dia 10/04. Não se preocupe! Nossas redes sociais vão levar nosso conteúdo até você. Sistematicamente.

Certa vez vi uma pesquisa (somos inundados por elas nesses tempos digitais não é mesmo?), que dava conta de que homens pensam em sexo a cada 28 minutos e as mulheres a cada 51 minutos. Nada mais natural do que atender a esse interesse com questionamentos jornalisticamente válidos expressos em mais uma série de reportagens de fôlego, aqui uma espiada na nossa primeira do ano , que me orgulho de levar ao leitor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.