Tamanho do texto

Protagonistas de "Internet – O Filme" falam sobre rejeição do público e inserção em outros mercados: "Todo mundo sai ganhando"

Depois de KéferaChristian Figueiredo irem para os telonas, o caminho dos youtubers no cinema ficou definitivamente aberto com " Internet – O Filme ", longa que estreou o Brasil nessa quinta-feira (23). Reunindo 25 dos mais famosos criadores de conteúdo da internet brasileira, o filme abre uma nova porta aos ídolos da nova geração.

Leia também: Youtubers falam sobre rótulos e futuro da TV: “Eles estão muito preocupados”

Os youtubers Gusta, Pathy dos Reis e Gabi Lopes estão em
Divulgação
Os youtubers Gusta, Pathy dos Reis e Gabi Lopes estão em "Internet – O Filme"

"É diferente de tudo que eu já fiz. A dimensão estava muito além de tudo que eu poderia imaginar", explicou Cauê Moura , um dos youtubers do filme, em entrevista ao iG . "Fiz cinema, nunca podia imaginar isso", continuou.

A maioria dos atores do filme não escondem o deslumbramento com a oportunidade de estar nas telonas. "Viver isso na frente na câmera, com amigos, foi mais do que eu esperava", confessou Gusta. "A gente está acostumado a gravar só a gente, com nossos amigos que trabalham com a gente, com uma câmera só. Quando você multiplica isso com várias câmeras e vários ângulos é diferente", corroborou Pathy dos Reis.

Em "Internet – O Filme", os criadores de conteúdo interpretam personagens em esquetes que se juntam no final da história. O trabalho é diferente do que eles estão acostumados a fazer em seus canais. "Minha cena mais difícil foi beijar o [Felipe] Castanhari. Uma coisa é você beijar a pessoa, outra coisa é beijar na frente de todo mundo", confessou Pathy.

Leia também: Afinal, os youtubers ameaçam o jornalismo?

Agora com o caminho aberto no cinema, eles esperam fazer tanto sucesso como na internet e no mercado editorial. "Eu só vejo vantagens, todo mundo sai ganhando", disse Cauê Moura. "É uma nova geração, é uma maneira de você expor seu trabalho na internet", explicou Victor Meyniel. "Tem gente que faz isso na TV e tem gente que faz na internet", continuou.

Rejeição e sucesso

Mesmo atacando todos os meios e ancorados em uma enorme base de fãs, os youtubers ainda enfrentam resistência de muita gente. "As pessoas já têm um preconceito quando você fala em filmes de youtubers, livro de youtubers", disse Pathy dos Reis. "Quando fala youtuber, parece que vem um pacote de coisas negativas", lamentou Gabi Lopes.

Victor Meyniel e Cauê Moura
Divulgação
Victor Meyniel e Cauê Moura

Apesar dos números incríveis, a rejeição é algo que os incomoda. "Eu acho que o grande lance é a galera não consumir um youtuber na TV, no cinema ou no teatro com esse preconceito. Isso já condiciona para o negativo", disse Gusta. "A gente está trabalhando em cima disso", resumiu Pathy dos Reis.

Mesmo assim, eles sabem que estão inseridos em algo muito grandioso. "Hoje o YouTube é uma grande mídia. Superou a televisão", cravou Gusta. Seus maiores aliados são a facilidade e a democratização da produção de conteúdo. "Você pode pegar um celular, parar ele e fazer um vídeo bem legal", explicou.

Leia também: Como os digital influencers estão mudando a internet e o jornalismo

Se os youtubers não são compreendidos por todo mundo, o impacto deles é inegável. "Caras como o PewDiePie são os novos ídolos de uma geração", garantiu Cauê Moura. "Essa galera é tipo os Beatles de uma geração."

    Leia tudo sobre: YouTube