Tamanho do texto

Produção indicada ao Oscar chega aos cinemas brasileiros em 16 de fevereiro, mas distribuidora do filme o exibiu para instituições que promovem afirmação da cultura negra no Brasil na última sexta-feira (10)

Indicado ao Oscar de melhor documentário, “Eu Não Sou Seu Negro” estreia no Brasil na próxima quinta-feira (16). A produção retrata questões raciais nos Estados Unidos por meio das trajetórias de Martin Luther King Jr. , Malcom X e Magdar Evers.

Leia mais: "Hamilton": o musical da Broadway que virou fenômeno na internet

Cena do filme Eu Não Sou Seu Negro
Divulgação
Cena do filme Eu Não Sou Seu Negro

A distribuidora do filme no Brasil, a Imovision, em parceria com as instituições sociais Levante Negro , Soweto e Uniafro promoveu uma sessão especial do filme na última sexta-feira (10) no Reserva Cultural, cinema localizado na avenida Paulista.

Leia mais: "A Cidade Onde Envelheço" discute estranhamento cultural entre Brasil e 

Público espera na fila para assistir Eu Não Sou Seu Negro no Reserva Cultural em São Paulo
Divulgação
Público espera na fila para assistir Eu Não Sou Seu Negro no Reserva Cultural em São Paulo

“Um dos melhores filmes sobre direitos civis”, anotou o diário britânico Guardian . “Pulsa com raiva e anseia por compaixão, é um estudo do passado e do presente da América, num ciclo em que o pano de fundo mudou, mas os detalhes permanecem os mesmos”, observou a crítica do site especializado em cinema The Film Stage .

Público das instituições sociais Levante Negro, Soweto e Uniafro posam para foto antes da sessão de Eu Não Sou Seu Negro
Divulgação
Público das instituições sociais Levante Negro, Soweto e Uniafro posam para foto antes da sessão de Eu Não Sou Seu Negro

Dirigido por Raoul Peck e narrado pelo ator Samuel L. Jackson , “Eu não sou seu negro” é uma continuidade das investigações do escritor James Baldwin, que foi um romancista, dramaturgo, poeta e crítico social afro-americano, que veio a falecer de um câncer de estômago antes de conseguir finalizar seu livro "Remember This House" em 01 de dezembro de 1987.

Leia mais: "La La Land" e os musicais que invadiram o Oscar em 89 anos

A produção se incumbe de retratar os conflitos vividos naquela época (década de 60) e a violência policial cometida atualmente, abordando questões atuais sobre o significado do primeiro presidente americano negro Barack Obama  e da ascensão de Donald Trump recém-eleito presidente dos  Estados Unidos.


A crítica do filme “Eu Não Sou Seu Negro” será publicada em breve no iG .