Romance adolescente traz humor, amor e corações partidos na trama
Mauro Figa
Romance adolescente traz humor, amor e corações partidos na trama

Romance sáfico, namoro de mentira, amadurecimento, situações hilárias e um pôster falante. Esses são os elementos que, combinados, dão vida a “Eu, Minha crush e minha irmã” livro de estreia da escritora e roteirista Bia Crespo, recém lançado pela editora Seguinte. A autora nos presenteia com uma história hilária e cativante sobre primeiros amores, o amor entre irmãs e o amor-próprio.

A trama é protagonizada por um trio de garotas: Tamires, Antônia e Júlia.
Tamires é uma jovem inteligente, bonita e popular — principalmente entre as meninas. Ela está sempre com uma ficante diferente, mas é tão gente boa que, mesmo depois de dispensadas, suas ex acabam virando suas amigas. Tamires com certeza é a protagonista da própria vida… só não é a protagonista deste livro.


Antônia, sua irmã caçula, que sente que não passa de uma versão sem graça da mais velha. As duas dividem um apartamento em São Paulo, onde fazem faculdade, mas enquanto Tami leva uma vida social pra lá de agitada, Tônia prefere ficar em casa assistindo séries. No curso de cinema, Antônia também não se encaixa muito bem: seus amigos só querem saber de filmes cult, mas ela prefere comédias e sucessos de bilheteria.

Num esforço para fazer a irmã se enturmar, Tami dá uma festa no apê das duas, e é aí que surge o terceiro elemento desta história: Júlia. Assim que vê a garota, Antônia fica encantada. Ela nunca beijou uma menina antes, mas suas experiências com garotos só confirmaram o que ela já sabia: ela é definitivamente lésbica, assim como a irmã. Num primeiro momento, Júlia corresponde o interesse de Antônia, mas tudo vai por água abaixo quando Tamires entra em cena.

Júlia, que adora um desafio, decide conquistar Tamires e se tornar a primeira a ter um relacionamento sério com a garota mais desejada da universidade. Para isso, recorre a Antônia: se as duas fingirem um breve romance, Júlia poderá se aproximar de Tami e mostrar o que ela está perdendo. A contragosto, Antônia acaba concordando com esse plano mirabolante só para passar mais tempo com Júlia. Mas quando sentimentos de mentira se confundem com sentimentos muito reais, alguém vai acabar de coração partido.

Bia sabe, como poucas, extrair da literatura LGBT+ um misto de risadas, lágrimas e fortes emoções. Seu talento para escrever deixa de ganhar vida somente nas páginas de roteiros e passa a viver no imaginário de sua legião de fãs com a chegada e o sucesso de “Eu, Minha crush e minha irmã”.

Para pautas e demais sugestões: colunaquartacapa@gmail.com

    Mais Recentes

      Comentários

      Clique aqui e deixe seu comentário!