Autora se inspirou na morte da mãe por Covid-19
Reprodução/Prisla Tranjan
Autora se inspirou na morte da mãe por Covid-19

A educadora parental Prisla Tranjan não sabia como explicar ao filho Joaquim, à época com 2 anos, porque a mãe chorava tanto e porque eles não visitavam mais a casa da vovó, uma das milhares de vítimas do Coronavírus em nosso país. Para tentar criar algo que fizesse sentido à realidade do filho, ela então escreveu “Todo Mundo Vira Borboleta” (Much Editora) de uma forma que o luto fizesse algum sentido para todas as crianças na faixa de 2 a 7 anos.

O livro ensina, de forma lúdica, leve e divertida, o ciclo da vida pelo qual todos nós iremos passar. Falar da perda estando distante do que esse sentimento representa é mais fácil do que quando o vivemos no momento presente. A autora, então, usou seu conhecimento como educadora para trazer mais que uma válvula de escape, mas também ensinar os pequenos que a morte faz parte da vida e que, independente da crença, tudo que passamos em vida são transformações.

 “Todo Mundo Vira Borboleta” fala da metamorfose da vida, com alusão à vida da lagarta que vira borboleta. A associação é importante para a criança aprender que a vida trará mudanças o tempo todo, sejam elas dolorosas, alegres ou tristes. 

Achar que as crianças não entenderão certos assuntos é errado. Tudo depende de como ele é abordado dentro da capacidade de compreensão delas, sobretudo no momento da pandemia em que o mundo ainda se encontra, é importante trazer o tema do luto para dentro de casa e explicar à criança que a vida irá, infelizmente, nos reservar momentos de darmos adeus a quem amamos.

Para pautas e outras sugestões:  [email protected]


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários