Autora fez um romance infanto-juvenil
Divulgação
Autora fez um romance infanto-juvenil

Reconhecida pelo fenômeno mundial Harry Potter, J.K.Rowling, após escrever romances adultos como “Morte Súbita” e “Vidas Muito Boas” retoma ao seu público original, que a consagrou, com uma fábula que promete encantar a todos. 

Jack e o Porquinho de Natal (Ed. Rocco) é o primeiro romance infanto-juvenil da autora desde Harry Potter e sucede seu brilhante retorno à publicação para crianças com a fábula do ano passado, O Ickabog, publicado primeiramente em formato de série e gratuitamente para crianças em quarentena e editado em seguida com todos os direitos autorais doados ao fundo filantrópico Volant, para ajudar grupos vulneráveis afetados pela pandemia de Covid-19. É uma história independente, sem relação com nenhuma obra anterior de J.K. Rowling.

O livro conta com capa dura e nove desenhos em preto-e-branco do premiado ilustrador Jim Field. A autora aprovou as imagens de primeira e ficou bastante animada: “Jim e eu trabalhamos através da minha editora, Ruth, que me enviou os desenhos dele e passou meu feedback. Como ele estava acertando tudo na primeira vez em que desenhou, a maioria dos meus comentários consistiu em expressões de alegria! Adorei trabalhar com ele. Ele realmente foi o ilustrador perfeito para o projeto”, disse Rowling.

 A história fala sobre o amor de uma criança pelo seu tesouro mais precioso e até onde ela está disposta a ir para encontrá-lo. Jack tem um porquinho de pelúcia cor-de-rosa que ele chama de “O Poto”. OP, como ficou conhecido, está ao lado de Jack nos bons e maus momentos e compreende todos os seus sentimentos. Até que, em uma véspera de Natal, para grande tristeza do menino, OP é perdido. Jack ganha um novo brinquedo, o Porquinho de Natal, e é este substituto que vai armar um plano para que, juntos, eles embarcam em uma jornada repleta de magia em busca do que foi perdido e a fim de reencontrar o melhor amigo que Jack já teve. 

Leia Também

 “Eu acho que há alguns conceitos no livro que podem levar a algumas conversas interessantes entre adultos e crianças”, diz J.K. Rowling sobre o lançamento. “Eu acredito que crianças podem lidar com o assunto de maneira mais complexa do que costumam acreditar”, completa.

Não há dúvidas que Rowling domina esse universo e parece muito mais à vontade com seus textos voltados a esse público. Seus romances para público adulto não foram tão bem como a saga do bruxo mais amado do mundo, que a deixa no topo das listas até hoje. 

Para sugestões e pautas:  [email protected]

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários