Zélia Duncan
Reprodução/Instagram
Zélia Duncan


Zélia Duncan  tem usado as redes sociais para conscientizar a população sobre a importância da imunização contra a Covid-19. Nesta quinta (12), por exemplo, a cantora e compositora carioca, que está divulgando o álbum "Pelespírito", lançado recentemente em comemoração aos seus 40 anos de carreira, escreveu: "Negam vacina, se aglomeram e falam mal quando alguém vacinado contrai a doença. A ignorância vaidosa e desonesta faz isso".

Apesar de não ter citado nomes, alguns enxergaram o post como uma indireta aos que questionaram por que o ator Tarcísio Meira faleceu, mesmo tendo tomado duas doses em março, na cidade de Porto Feliz, no interior de São Paulo.  Aí ela amplificou a informação, especialmente neste momento em que enfrentamos uma pandemia que já matou mais de 566 mil brasileiros: "Não é milagre, mas salva de hospital e óbito. Sempre? Ninguém pode garantir 100%. Nem Deus. Façamos a nossa parte".


Você viu?

Depois,  Duncan concluiu seu desabafo, dizendo que, "quanto menos gente vacinada, mais o vírus se transforma em outros, porque encontra terreno fértil para ficar mais nocivo". A partir daí, a web interagiu. Um usuário pediu para avisarem "À Baby, ex-Consuelo, por favor!". "O difícil é fazer as pessoas entenderem isso. Ou não quererem entender", emendou outra. Já o terceiro disse que "só falta os 'pró-voto impresso'", aludindo aos que desejam, segundo ele, "a volta da pólio e da cólera".




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários