Liliane Ventura
Reprodução/Instagram
Liliane Ventura


Assim como o vice-presidente da República  Hamilton Mourão , Liliane Ventura , que faz parte do chamado grupo "bolsonarista raiz", também lamentou o  espancamento e a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, por dois seguranças de uma loja do Carrefour de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, na noite desta quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra, mas disse não acreditar que o episódio tenha sido motivado por preconceito.

Ao repercutir a notícia de que a empresa havia criado fundo de R$ 25 milhões para promover a inclusão racial, a jornalista e apresentadora usou a frase "morderam a isca" e ainda deu a sua opinião sobre a depredação nos protestos. "Não foi racismo. O Carrefour Brasil mordeu a isca. Alguns ignorantes são racistas . Vagabundos estão usando a bandeira para saquear e destruir o supermercado. E você, o que acha disso?", questionou via Instagram nesta terça-feira (24).

Porém, vale destacar que, em uma publicação anterior, a ex-comandante do extinto policialesco "Aqui Agora", do  SBT , sucesso nos anos 1990, já havia sugerido uma clivagem política durante live — com mais de 30 mil pessoas — em que o pastor e cantor gospel Wesley Ros era a atração principal. "A mídia está promovendo o sentimento de irmãos contra irmãos. É manipulação política, acordem", manifestou-se a artista.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários