Tamanho do texto

Ao abrir o coração em relação à sua história na TV, a veterana falou da parceria com Ione Borges, do tão sonhado programa noturno e, claro, do beijo para a atriz Leila Lopes

Experiente, no melhor sentido da palavra, Claudete Troiano é uma das mais respeitadas apresentadoras de atrações femininas. Estreou na TV com 7 anos, na novela "Vidas Cruzadas". Apresentou programas infantis, trabalhou com os Trapalhões, foi narradora esportiva e repórter de campo de futebol. Desde 2014, faz parte do casting da TV Aparecida , onde comanda o vespertino "Santa Receita" e, há pouquíssimos meses, um projeto noturno que leva seu nome e que carimbou a lacuna que faltava na carreira.

Leia também: Ex-Dominó bonitão, Klaus Hee pode integrar elenco de "A Fazenda 11"

Claudete Troiano arrow-options
Divulgação/ TV Aparecida
Claudete Troiano

Um dos momentos que a jornalista bem lembra – e o público não esquece – aconteceu em 2011. Enquanto comentava com este colunista que vos escreve sobre a vitória da Miss Universo Leila Lopes, Clau lembrou da intérprete da professorinha Lu, da novela "Renascer", da Globo , que se suicidou em 2009. Coube a mim avisá-la: "Ela faleceu". "É mesmo? Não fiquei nem sabendo", respondeu, surpresa. Com exclusividade ao iG Gente , Claudete Troiano topou responder as 15 perguntas da Coluna Marcelo Bandeira. O resultado? Você confere agora!

Leia também: "Não há motivo para ele tirar satisfação", diz Solange Gomes sobre Márcio Garcia

  • 1. Dizem que é só chamá-la para um projeto dar certo. Você é pé-quente mesmo?

Sou considerada pé-quente. Todos os artistas que começaram no programa, no meu programa, estão aí até hoje fazendo muito sucesso. Eu me considero uma pessoa que dá muita sorte principalmente para os outros.

  • 2. Que importância a Ione Borges tem em sua trajetória?
Claudete Troiano arrow-options
Divulgação/ TV Aparecida
Claudete Troiano

Toda, né? Grande amiga, parceira. Você sabe que hoje estava pensando nisso porque agora a gente vê por aí os termos "amiguinha", "coleguinha", mas "parceirinhas" como nós, acho que nunca mais.

  • 3. Sua vida íntima, pessoal, raramente é exposta à mídia. Por quê?

Porque a minha vida é maior do que a minha profissão. A minha vida, a minha família, procuro preservar o máximo mas, às vezes, não dá. Mas o que posso fazer pra preservar? Não existe nada mais importante do que a tua vida, nenhuma profissão, nenhuma carreira, nenhum trabalho pode ser maior que ela.

  • 4. Alguma crítica, notícia ou meme já mexeu contigo? Botou você pra baixo? 

Ah, não que tenha me botado pra baixo, mas você sabe, né Marcelo, porque é participante disso... aquele da Leila Lopes! Deu aquela repercussão porque procuro ser sempre muito verdadeira, fui muito verdadeira ali, e acho que o fato de ter me assustado com a notícia, porque não sabia realmente, mexeu com todo mundo. Num primeiro momento fiquei triste, e pensei: "foi o maior fora da minha vida, como é difícil fazer programa ao vivo"... Mas depois entendi que, primeiro, ninguém chuta cachorro morto e segundo, para dar aquela repercussão num programa que dava 1 ponto de audiência, é porque meu nome vale muito no mercado.

Marcelo Bandeira e Claudete Troiano arrow-options
Divulgação/ Márcio Pereira
Marcelo Bandeira e Claudete Troiano
  • 5. O que você não gosta de fazer que a sua profissão obriga?

Agora não faço mais. Mas não gostava de fazer pautas de DNA, barraco, mas já fiz. Sabe assim provocar discussão, tudo pela audiência, já fiz. Graças a Deus, aqui na TV Aparecida estou livre de tudo isso.

  • 6. Você ainda acredita na política? Como vê o Brasil hoje na educação, na cultura, no ambiente geral?

Infelizmente, é um país praticamente quebrado. É difícil acreditar, mas o brasileiro tem fé, graças a Deus, é a fé que motiva um pai de família a sair todo dia à procura de um emprego. Se perde dignidade quando se perde emprego, e olha, quantos milhões de desempregados que nós temos. Então, é com tristeza, mas com fé e esperança.

  • 7. O que te dá mais prazer: apresentar o vespertino "Santa Receita" ou seu programa noturno na TV Aparecida?

Ah, Marcelo são coisas bem distintas, né? O "Programa Claudete Troiano", como falei, era um projeto que de repente, assim, virou realidade quando menos esperava. Ele foi feito aqui mesmo em Aparecida, então, com dificuldade de você trazer para as gravações artistas, talvez, de maior peso. O Felipe Pontes, diretor do programa, a direção da casa de um modo geral, a gente entendeu que até as histórias de pessoas não conhecidas estão indo muito bem no ar.

Claudete Troiano arrow-options
Divulgação/ TV Aparecida
Claudete Troiano

Apresentar o noturno era um desejo meu e que a Marilia Carvalho aqui da direção fez que fez que conseguiu concretizar. Não sei se nós teremos segunda temporada ou não, mas foi uma coisa que me deu muito prazer e que pude me mostrar de uma forma diferente. As duas coisas, o "Santa Receita" como se diz por aí faço "com o pé nas costas" e o programa da Clau demandou mais cuidados da apresentadora, da jornalista, então, gostei de exercer esse lado.

  • 8. Qual conquista da sua carreira que mais te dá orgulho?

Foram tantas sabe, acho que não ter crescido na horizontal, acho que isso me enche de orgulho, cheguei onde cheguei por mim mesma, pela força, pela dedicação, pelo trabalho. Agradeço até os "não" na cara e o término de alguns programas que gostava muito e fiquei sem entender até hoje. Mas acho que não ter crescido, não ter me sujeitado a nada para chegar até aqui foi uma bela jornada, me orgulho disso.

  • 9. Há quem diga que a internet afasta as pessoas. Você gosta dessa forma virtual de se comunicar?

Gosto nada! Toda mãe sabe que os filhos ficam "mãe, mãe, ô mãe" e antes mesmo de você responder eles já deram cinco "mães" e agora pelo celular filho faz a mesma coisa. Ainda estou no primeiro "mãe" tentando responder e já vieram mais uns quatro (risos), ou aqueles amigos que ficam mandando mensagem, isso é comum na internet, é uma palavra, uma mensagem, duas palavras, outra mensagem, faz logo uma cartinha e manda.

Acho que afasta sim, sabe, nada como "olho no olho" e tem muita gente que também se esconde atrás de uma tela de computador ou de celular para falar o que quer e escrever o que quer e a mentira dita muitas vezes parece verdade. O que me irrita, às vezes, é que uma mentira se propaga de uma forma tão intensa e prejudicial, e ninguém liga pra isso, apesar de agora mais recentemente ter aí essa campanha da Fake News, mas se sai alguma coisa mentirosa sua, quando você for ver, ela já está em todo o Brasil por inúmeros sites, blogs, não tem mais jeito. Mesmo que você fale a verdade, aí parece que está mentindo. Então, não sou muito fã.

  • 10. Vivemos em um momento em que se fala muito de empoderamento feminino. Como você vê a figura da mulher hoje no audiovisual?
Claudete Troiano arrow-options
Divulgação/ TV Aparecida
Claudete Troiano

Uma coisa que fico sempre muito feliz é quando vejo mulheres fazendo reportagem de campo, por exemplo, sei bem como foi difícil começar tudo isso.Quando vejo mulheres em todos os segmentos da sociedade (mesmo no audiovisual) poderosas demais!

Mas prefiro falar do feminicídio, uma vergonha, uma coisa que me entristece muito, apesar de tantos anos de programa feminino, apesar desse empoderamento todo, tem muitas que ainda se sujeitam a uma pessoa que deveria ser amiga, mas que a gente vê aí que o perigo mora junto. Quantos companheiros matando as suas mulheres? Acho que isso, sim, merecia um espaço muito maior na mídia, por políticas governamentais, porque tem que parar essa matança.

  • 11. É difícil, entre tanta informação, separar e analisar o que interessa ao espectador brasileiro?

Não. Acho que não. Absolutamente não. É você pensar como um brasileiro, você que age como um brasileiro, observar como um brasileiro. Eu falo isso sempre pra minha produção. Até infelizmente, mas está cada vez mais fácil porque são tantos os problemas e falar sobre isso, é lógico que interessa a quem está do outro lado.

  • 12. No tempo em que você fica em Aparecida (interior de SP), o que costuma fazer?

Nada. Praticamente dormir e trabalhar (risos). Aliás, digo que Nossa Senhora me trouxe pra Aparecida, pra essa terra abençoada, para isso. Porque vou te falar, trabalho no que gosto e trabalho praticamente o dia inteiro. São muitas as vezes que faço dois programas por dia, não é fácil na minha idade, salto alto porque, você sabe, eu gosto, mas não sinto nada porque adoro fazer, amo trabalhar. Para mim não importa sair em revista, não sair em revista, ser capa, não ser capa, só quero trabalhar, adoro o que faço e a noite quando termina vou para o hotel e durmo tão bem. Eu fico muito bem aqui!

  • 13. Como é trabalhar na TV Aparecida? É diferente das outras emissoras da capital paulista, onde atuou?

Piso na TV Aparecida para apresentar o meu programa, desde o primeiro dia, como se estivesse em qualquer outro lugar, assim como fiz quando estava na RecordTV , na Band , na Gazeta ou no SBT . O melhor lugar é onde a gente está! Aqui me sinto protegida por não ter preocupação com minuto a minuto (medidor de audiência). Aqui a preocupação da direção é com o conteúdo.

14. Aproveitando o gancho, você consegue acompanhar o trabalho de Sonia Abrão, Regina Volpato e Cátia Fonseca, suas "concorrentes" da tarde?

Claudete Troiano arrow-options
Divulgação/ TV Aparecida
Claudete Troiano

Não. Porque exatamente estou no ar, né, nesse período. Então, raramente. Quando estou em São Paulo (ela fica em Aparecida de segunda a quarta), às vezes, vejo um pouco. Imagine, né, uma dona de casa, mãe, com três cachorros, casa grande, para organizar tudo isso em dois dias úteis é um pouco difícil, então, corro pra caramba também. Por isso que gosto daqui, fico mais sossegadinha (risos).

Faço o que amo e descanso para ganhar energia para conviver com o trânsito maluco de São Paulo, as coisas de São Paulo, as coisas que tenho que fazer em casa e fora de casa quando estou lá. Então, não dá pra acompanhar muito, acompanho mais por notícias. De vez em quando, quando tenho um tempinho, lógico, dou uma espiadinha em todas elas, gosto de todas e aprecio o trabalho de todas elas.

  • 15. Clau, para concluir, a pergunta que não quer calar: como são seus cuidados com o corpo? É vaidosa? Faz dieta e é focada em treinos ou é mais tranquila e desencanada em relação a isso?

Tem uma hora que você desencana, né? Com a minha pele sou muito preocupada, mas já fui mais! Parece que você adivinhou meus pensamentos dessa manhã porque acordei pensando em tudo isso (risos) e que tenho que voltar a fazer ginástica, quero ver se começo agora Pilates porque tenho que cuidar da saúde.

Leia também: Carlinhos Maia comemora sucesso de turnê e indicação para prêmio internacional 

Graças a Deus estou muito bem, obrigada, obrigada, obrigada, a palavra mais importante na minha vida hoje é essa, é o agradecimento por tudo e obrigada. Eu falo, acho que uns 50 obrigados por dia, e obrigada a Jesus pela minha saúde, que é o bem mais precioso que a gente tem. Então, estou um pouquinho desligada disso e não deveria. Hoje levantei com espírito bom e já marquei uns três médicos.