Sidarta Ribeiro (esq.), Oskar Metsavaht (centro) e Marcello Dantas na instalação Planetário Intraterrestre
Divulgação
Sidarta Ribeiro (esq.), Oskar Metsavaht (centro) e Marcello Dantas na instalação Planetário Intraterrestre


Quem for à SPFW ao longo dos próximos dias irá se deparar com uma instalação que promete ser um hit nos perfis de Instagram: o Planetário Intraterrestre, uma floresta urbana que conta apenas com plantas alucinógenas. A obra é resultado da parceria entre o designer e artista Oskar Metsavaht, o neurocientista Sidarta Ribeiro e o curador Marcello Dantas.

Mas não pense que você irá ficar "doidão" ao chegar perto da obra e tampouco será convidado a tomar um chá de cogumelo (ainda que exista essa espécie de alucinógeno na instalação). A ideia é você se jogar em uma rede elástica armada sobre um fosso com diversas plantas para tentar se reconectar com as forças da natureza e até mesmo com o próprio planeta Terra.


Leia Também

"Eu considero essa obra uma reflexão para a sociedade, de que nós estamos mirando muito o cosmos, corridas espaciais, fuga, busca por outro planeta. E acho que temos que criar uma antítese, que faça a gente olhar para a Terra e mergulhar nela", explicou Metsavaht.

"Isso é um chamado para uma introspecção. Estamos em xeque, em risco. Um terço da Amazônia está destruída. Se a gente não acordar agora, daqui a alguns poucos anos será tarde demais. Os psicodélicos atuam no cérebro nas regiões que têm a ver com a empatia. Abre as portas da percepção para a percepção do mundo de dentro", analisou Sidarta.

"É uma ideia de a gente reverter nosso olhar para outro lugar. É uma chamada de consciência para os psicodéliccos, que são instrumentos poderosos para lidar contra os males do nosso tempo", reforçou Dantas.

A instalação ficará disponível para visitas ao longo de toda a SPFW, que ocorre no Pavilhão das Culturas Brasileiras, localizado no Parque Ibirapuera. Pode se jogar na rede à vontade, porque a estrutura é bastante segura e suporta até 500 kg.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários