Márcia Goldschmidt é a entrevistada de Antônia Fontenelle desta semana no 'Na Lata", no Youtube. A jornalista e apresentadora abriu o coração durante a conversa e ainda revelou que começou a trabalhar como babá aos nove anos, das dificuldades na época em que morou em Paris, quando até produziu um espetáculo teatral e acabou virando produtora de artistas e espetáculos.

Leia também: Márcia Goldschmidt aposta nas plataformas digitais para retomar a carreira

Márcia e Fontenelle arrow-options
Reprodução
Márcia e Fontenelle


Leia também: Quatro razões para Márcia Goldschmidt voltar para a TV urgentemente

Ela entregou que ao retornar o Brasil abriu logo uma agência de casamentos. "Comecei a me meter na vidas dos outros", diz as gargalhadas a apresentadora que começou a trabalhar na televisão na Rede Mulher. O maior sucesso foi no SBT, e Márcia também lembrou da puxada de tapete que levou na emissora de Silvio Santos com a entrada de Ratinho. Na época, ele estava na Record e fazia um programa parecido com o dela. "Uma pessoa apoiou muito a ida do Ratinho para o SBT porque a minha presença incomodava. Ele puxou o meu tapete. Eu era muito novata na televisão e não deu para fazer nada. Fiquei um tempo na geladeira e em uma das circunstâncias da vida,a Gazeta perdeu uma apresentadora, eu fui pra lá. Depois que fui para Bandeirantes".

Leia também: Com saudade das guloseimas, Antônia Fontenelle desfila pela última vez

"Meu boom foi no SBT, mas a minha consolidação foi na Band porque lá eu tinha total liberdade de produção e formato e aí eu fiquei lá durante muitos anos,", completou.

    Veja Também

      Mostrar mais