"Meditation Park" é um feel good movie. Do tipo que o protagonista acorda para experiências importantes da vida após enfrentar uma experiência traumática. No caso, a protagonista é defendida pela atriz chinesa Pei-Pei Cheng, de 73 anos. 

Leia também: "Em Trânsito" filtra crônica de paixão e abandono da França sob sítio nazista

Cena do filme Meditation Park, já em cartaz nos cinemas brasileiros
Divulgação
Cena do filme Meditation Park, já em cartaz nos cinemas brasileiros

De cara, dois fatos incomuns chamam a atenção no longa de Mina Shum, nascido em Hong Kong e radicado no Canadá. Uma mulher idosa e oriental como protagonista. Não é a única resiliência verificável em "Meditation Park" .

Maria Wang ( Pei-Pei Cheng ) resolve assumir as rédeas de sua vida depois de descobrir que seu marido teve um affair. Toda a questão é tratada com delicadeza e descrição, afinal, este é um filme sobre a jornada de autoconhecimento de sua protagonista , em fase avançada de sua vida, e não sobre um revertério familiar. 

Leia também: Conto de horror transgressivo, "Suspíria" encanta pelas sutilezas que gritam

Todavia, a questão cultural - o machismo, a dependência financeira e a maneira como a sociedade trata a terceira idade - são pontos abordados pelo roteiro que ganha pontos pela maneira generosa com que ilumina a relação da protagonista com sua filha, vivida pela sempre excelente Sandra Oh. 

"Meditation Park" é uma produção canadense falada em inglês, Cantonês e Mandarim e participou do Festival de Toronto em 2017.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários