Tamanho do texto

Espetáculo conta a história de um jovem que se apaixona por um rapaz, mas descobre que a namorada está com câncer. A coluna Bastidores também traz detalhes do último show da turnê "Amigos" e de festival de cinema infantil

O que pesa mais é o amor ou a piedade? É justamente esse questionamento que assombra o protagonista do musical “ Só Se For a Dois ”. O espetáculo com temática LGBTQ+ conta com um roteiro original e é embalado por sucessos da MBP. “Montamos esse espetáculo de forma independente porque sentimos a necessidade de contar e falar de vida real para jovens partindo de pessoas jovens”, afirma o roteirista, diretor e produtor do espetáculo, Allan Oliver.

Leia também: "Uma homenagem", diz Luan Santana sobre musical inspirado em suas músicas

Musical arrow-options
Divulgação/Caio Gallucci
Musical "Só Se For a Dois" está em cartaz em São Paulo


O musical “Só Se For a Dois” conta a história de Danilo (Pedro Pimentel), um jovem músico que namora com Helena (Julia Gaspar), mas acaba se apaixonando Giovanni (Vinícius Perso). O grande o problema é que Helena descobre que está com câncer em estágio avançado e ele começa a se sentir culpado por querer terminar com ela.  

O musical é uma produção independente feita por jovens que querem simplesmente espalhar o amor. “Não tivemos medo de censura, o espetáculo conta uma história de amor e a bandeira LGBT é levantada, mas não é uma militância. Contamos no melhor estilo ‘Malhação’, queremos mostrar tudo de forma natural”, garante o produtor ao iG .

O ator Lincoln Glauber vive um professor de música na trama e conta que o mais o motivou a participar do musical foi a história. “Explorar uma temática LGBT nos dias de hoje é tão importante, principalmente da forma delicada que a história contada e por ser embalada por músicas nacionais, isso é muito significativo.”

Só se for a dois arrow-options
Divulgação/Caio Gallucci
O espetáculo conta a história de amor de Danilo e Giovanni

No papel protagonista, Pedro diz que seu personagem mudou a forma dele enxergar o que está a sua volta: “É um papel que me fez pensar e entender muita coisa fora da minha realidade. Por exemplo, namorar uma menina e está sentindo afeto por uma pessoa do mesmo sexo”. Já a atriz Camila Coltri, que vive a antagonista Marta, levanta outra questão tratada no espetáculo: o câncer.

“A forma de falar da doença é importante, a gente não quis transformar a Helena em uma coitadinha. Mostramos que é algo que acontece e ela continua forte, decidida e não quer que sintam dó dela, porque ela está doente, mas não é frágil”, comenta Camila. Vinícius, que dá vida a Giovanni, acrescenta: “O que me impressiona é que Helena é jovem e o jovem nunca pensa que vai morrer, ou descobrir um câncer, por isso essa história mexe muito com a gente”.

Como toda produção sem patrocínio, o espetáculo enfrenta algumas dificuldades, como a falta de microfone, mas a próxima produção, “CDF”, será diferente. “O próximo musical vai falar sobre suicídio, ansiedade, pressão pré-vestibular. Ao estilo do Bullying, nossa primeira produção, será uma comédia musical. A gente quer ter banda ao vivo, porque será rock in roll, a gente quer microfonar todo mundo e um cenário que se movimente”, adianta Allan.  

*Com reportagem de William Amorim

Último show da turnê "Amigos"

Palco da turnê arrow-options
Divulgação
Palco da turnê "Amigos 20 anos"

A venda de ingressos para o último show da turnê “ Amigos 20 anos – A História Continua ” já está aberta. Reunindo no palco Chitãozinho & Xororó, Leonardo e Zezé di Camargo & Luciano, a turnê segue viajando pelo Brasil e o encerramento está marcado para o dia 8 de agosto de 2020, no Allianz Parque, em São Paulo. Antes disso, o público também poderá conferir a gravação de um dos shows no especial de final de ano da Globo. Nostálgico, né?

Leia também: Qual dos "Amigos" canta esta música? Faça o teste e descubra se você é fã

Quem for curtir ao vivo pode se preparar para uma mega apresentação de três horas com um set list composto por 40 canções de sucesso desses grandes nomes do sertanejo. O palco é em formato de letra “A” em homenagem ao cantor Leandro, que carregava a inicial da palavra “Amigos” nas camisetas que usavam nos shows.

Mauricio de Sousa no 17º Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI)

Mauricio de Sousa arrow-options
Divulgação
Mauricio de Sousa terá destaque em festival de cinema infantil

Desde a primeira edição do Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI), que aconteceu em 2003, foram exibidos mais de mil títulos de 36 países para mais de 1,7 milhão de espectadores. Na sua 17ª edição, o FICI coloca em Mauricio de Sousa, considerado o mestre dos quadrinhos brasileiros. As produções nacionais e internacionais serão exibidas em cinemas da Rede Cinemark no Rio de Janeiro e Niterói (18 a 22/10), Natal (18 a 27/10) e Aracaju (23 a 27/10). No total, serão 308 sessões com ingressos populares e gratuitos.

Leia também: Globo entra na briga dos realities culinários com “Mestre do Sabor”

Durante o festival acontece o Prêmio Brasil de Cinema Infantil, que bateu mais um recorde de inscrições, com 192 filmes. Desse total, 19 curtas de 12 estados brasileiros foram selecionados e serão exibidos nas sessões Histórias Animadas (+ 6 anos), Histórias Curtas (+ 8 anos) e Mostra Teen (+ 10 anos). O vencedor será escolhido pelas crianças, em votações realizadas nas sessões do festival, e também pelo voto online.

Mais informações de "Só Se For a Dois"

O musical “Só Se For a Dois” está em cartaz no teatro do Viradalata Espaço Capital, em São Paulo. As sessões acontecem sempre as quintas, às 21h, e a temporada vai até 31 de outubro. A classificação indicativa é 12 anos e os ingressos vão de R$ 25 a R$ 50.