Tamanho do texto

O Festival acontece entre os dias 1º e 11 de novembro e será encerrado com "O Grande Circo Místico"; veja mais destaques da coluna Bastidores de hoje

O Festival do Rio 2018, que acontece entre os dias 1º e 11 de novembro, vem com 84 produções brasileiras dos mais variados temas: são 64 longas, incluindo coproduções, e 20 curtas, que farão a festa do público. O filme de encerramento do festival será "O Grande Circo Místico", de Carlos Diegues.

Leia também: Shows de Shakira e Camila Cabello agitam cenário musical brasileiro em outubro

Divulgação
"O Grande Circo Místico" encerra o Festival do Rio 2018


Na Première Brasil , uma das mostras mais aguardadas e concorridas do Festival do Rio , serão exibidas produções (48 longas e 20 curtas) de diretores estreantes e consagrados. O público escolhe o melhor filme nas categorias ficção, documentário e curta, através do voto popular e um júri oficial elege as demais categorias.

A mostra competitiva Novos Rumos vai exibir 7 longas e 7 curtas em sua seleção.  A Mostra Retratos vai apresentar 11 longas, com recortes que registram de maneira singular personalidades e temas/assuntos relevantes na história do país.

Bruna Linzmeyer em filme que encerra o Festival do Rio
Divulgação
Bruna Linzmeyer em filme que encerra o Festival do Rio


Nos últimos anos, a Première Brasil ampliou sua grade, abrindo espaço para as mostras Novos Rumos e Retratos. Por conta da diversidade e volume da produção no país, outros filmes brasileiros serão exibidos em mostras do Festival do Rio, como Panorama, Midnight, Première Latina, Expectativa 2018 e clássicos.

"Todo mundo odeia o Chris"

Comedy Central estreia
Divulgação
Comedy Central estreia "Todo Mundo Odeia o Chris"


a próxima segunda-feira (08) às 21h, o Comedy Central estreia a primeira temporada de "Todo Mundo Odeia o Chris".  A série conta a história da excêntrica família Rock, nos anos 80, narrada através do ponto de vista de Chris. Ao completar 13 anos, Chris, seus pais, Julius e Rochelle, e seus dois irmãos, Drew e Tonya, se mudam para Bedford-Stuyvesant, no Brooklyn. Lá, Cris vive as maiores desventuras e situações nada corriqueiras da vida de um adolescente.

Ele é o único aluno negro do Corleone Junior High School, o que acaba fazendo-o passar por vários perrengues e testes de paciência. Mas, apesar de tudo, ele não está sozinho nessa! Além de sua família, Chris tem Greg, seu melhor amigo que acaba compartilhando de (quase) todas as situações – cômicas se não fossem trágicas.

Leia também: "O #Metoo nunca emplacaria no Brasil", diz modelo Aline Martins

Erasmo Carlos na Deezer

Erasmo Carlos conta como conheceu Roberto Carlos, no
Divulgação
Erasmo Carlos conta como conheceu Roberto Carlos, no "Essenciais" da Deezer


Erasmo Carlos é o homenageado da vez na série de podcasts "Essenciais", da Deezer. Com a participação do próprio cantor, o programa conta toda a trajetória do artista, que revela, dentre outras coisas, como foi popularizar o rock no Brasil e como surgiu uma das parcerias de maior sucesso na história da música brasileira, com o rei Roberto Carlos.

A história que ligou os dois começou com Tim Maia e Elvis: "Eu era um menino que como muitos não sabia o que era rock 'n roll. Ouvi dizer que existia uma banda 'Vocal', e fui conhecer essa banda, que era por coincidência com Tim Maia, meu amigo da rua. A partir daí fui conhecendo Roberto Carlos, mas nessa época só era fã de rock. Com o tempo, por uma necessidade dele que queria uma letra de música, veio a amizade", conta o Tremendão. A letra era "Hound Dog", música que ficou conhecida através de uma versão de Elvis Presley, que Roberto queria cantar em um festival. "Eu fiquei todo feliz: 'Olha lá, Hound Dog, eu que emprestei essa letra para ele'", contou ele.

Ele também fala sobre "Manter a Minha Fama de Mau", que descreve como uma espécie de retrato que virou música, uma cena com homens de motocicleta. "Eu nem participava daquilo, não tinha jeans. Jaqueta de couro era difícil achar, motocicleta eu não andava, guitarra eu não tocava. Eu gostava daquela imagem, então vivia aquela imagem como se fosse um deles".

Erasmo também conta como foi ouvir sua primeira música na rádio, "Terror dos Namorados", uma dentre várias outras parcerias com Roberto Carlos. Como não podia deixar de ser, ele também revela detalhes sobre a dificuldade de introduzir referências do rock no cenário musical brasileiro, que no início sofreu bastante resistência.

"Os Melhores Anos das Nossas Vidas"

Lázaro Ramos apresentará
Divulgação/Canal Brasil
Lázaro Ramos apresentará "Os Melhores Anos das Nossas Vidas"


Uma saudosa viagem no tempo numa divertida competição entre cinco décadas: 1960, 1970, 1980, 1990, 2000. Assim será "Os Melhores Anos das Nossas Vidas", programa que estreia no dia 11 de outubro, com redação final de Paula Miller e direção geral de Bernardo Portugal. A atração vai ao ar às quintas-feiras, após "Carcereiros".

No comando da disputa está Lázaro Ramos, que apresenta o game show com a ajuda de cinco líderes, cada um representando uma década: Marcos Veras (1960), Marco Luque (1970), Lúcio Mauro Filho (1980), Ingrid Guimarães (1990) e Rafa Brites (2000). Os times contam ainda com ex-participantes do "The Voice Brasil".

Leia também: Camila Pitanga dirige documentário sobre o pai e o apresenta no Festival do Rio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.