Tamanho do texto

Problemas no transporte para o Lollapalooza, show gratuito de Negra Li e programa de Anitta são destaques da coluna Bastidores

O Lollapalooza é sempre uma experiência grandiosa, com muitas atrações nacionais e internacionais que ocupam a programação de boa parte do dia. Uma vez por ano, o autódromo de Interlagos, em São Paulo, é tomado por multidões em busca de boa música e diversão.

Leia também: Veteranos e novatos aprovam Lollapalooza 2018 e apontam preferências do festival

Lollapalooza teve três dias de maratona de shows, mas evento enfrentou problemas com o transporte no primeiro dia
Divulgação / Cinegrafista Amador
Lollapalooza teve três dias de maratona de shows, mas evento enfrentou problemas com o transporte no primeiro dia

Mas, para algumas pessoas, a edição 2018 não foi nada divertida. Localizado em uma área afastada da cidade de São Paulo, o autódromo exige uma viagem longa e cheia para muitos dos participantes. Por isso, a própria organização do Lollapalooza disponibiliza serviços de transporte que, esse ano, custavam R$ 100,00. E foi assim que o analista judiciário e professor Adir José da Silva Jr. escolheu para ir ao primeiro dia de festival na sexta-feira (23). Junto com a namorada e a cunhada, ele saiu de Capão da Canoa (RS) só para curtir o primeiro dia de festival, especialmente o show do Red Hot Chilli Peppers . Mas, o que deveria ser um dia de diversão acabou gerando dor de cabeça. Junto com outras pessoas, como a profissional de marketing Marilia Garcia, Adair embarcou no ônibus que saiu na região de Higienópolis as 14h45. Com cerca de uma hora de viagem planejada, o percurso levou três horas, contou com um bate boca com o motorista e quase chegou as vias de fato.

Leia também: Lollapalooza tem problemas técnicos no 2º dia e afeta show de Liniker

De acordo com Adir, o percurso estava demorando mais do que o previsto, mas inicialmente todos acreditaram se tratar apenas do trânsito . Foi só quando chegaram na Marginal Pinheiros e o motorista começou a fazer caminhos alternativos que os passageiros perceberam que estavam andando em círculos. Marília comenta que um rapaz foi falar com o motorista, cujo nome não foi identificado, e chegou a ser grosseiro com ele. Pouco tempo depois, o motorista decidiu parar o veículo e brigar com o passageiro que havia falado com ele. Não o reconhecendo, acabou achando que se tratava de Adir e passou a insultá-lo. “Ele me xingou, disse que eu era moleque, que eu não era nada”, conta Adir.

Lollapalooza
Heloisa Cavalcanti/iG SP
Lollapalooza

Não contente, o motorista decidiu partir para cima de Adir e foi a namorada do rapaz que impediu que os dois chegassem a uma briga física. Ele conta que haviam algumas adolescentes no ônibus que ficaram claramente incomodados com o ocorrido. Depois disso, algumas pessoas decidiram descer do ônibus ali mesmo e fazer o resto do percurso, cerca de 4 km, a pé. Outros, como Adir e Marilia, preferiram seguir no ônibus por não serem de São Paulo e não conhecer a região.

Adir conta que levou mais de três horas para chegarem ao autódromo e o motorista nem chegou a parada final. “Ele nos deixou a 1 km do local (o ponto final era dentro do autódromo) e ainda fez outras ameaças de agressão”, completou.

Marilia conta que, além da dor de cabeça, ela ainda perdeu uma das bandas que queria assistir, os ingleses do Royal Blood. Adir também completou que depois do corrido ficou “sem clima” para curtir o festival.

Volta e resposta

Na volta, tanto o grupo de Adir quanto de Marilia tentaram falar com a organização. Primeiro viram que as pessoas disponíveis para informações no local eram terceirizadas e não sabiam nada sobre o transfer. Ao pegar o ônibus de volta, eles foram informados que poderiam fazer uma reclamação no posto do transfer montado no hotel de onde o grupo saiu mais cedo no dia, mas não havia ninguém disponível quando chegaram lá. A mesma pessoa pegou os dados de contato de Adir.

Adir ainda recebeu uma ligação dos responsáveis pelo transporte oferecendo ressarcimento dos R$ 100,00, o que ele negou. O professor afirmou que quer ser ressarcido de todo o evento e aguarda um posicionamento da produção do Lollapalooza .

Leia também: "A Noviça Rebelde" retorna a São Paulo empoderada e com produção luxuosa

Em nota ao iG , a T4F, organizadora do evento informou o seguinte: "a T4F preza pela qualidade dos serviços prestados e não constatou falha nos serviços da forma relatada. De toda forma, apurará os fatos junto às empresas contratadas para o serviço em questão". 

Enquanto isso na TV....

Anitta não foi uma das atrações do festival, mas chegou a fazer uma participação no telão durante o show do Tropkillaz, com quem fez parceria em Vai, Malandra . Agora, a cantora estreia seu novo programa no Multishow, “Anitta Entrou  No Grupo”, na próxima terça-feira (03). A estreia contará com Marília Mendonça e nego do Borel e, ao longo da temporada, ainda trará outros nomes da música como Jojo Todynho, David Brazil, Victor Sarro e Tirullipa.

Zumbis em casa

Imagem do 'Guerra Mundial Z'
Divulgação
Imagem do 'Guerra Mundial Z'

O melhor filme de zumbis do século XXI é sempre uma boa pedida para se assistir em casa e o Megapix estreia na programação o filme "Guerra Mundial Z" nesta sexta-feira (30), às 22h30, com reprise no domingo (1º), às 20h20. Brad Pitt estrela como um ex-emissário da ONU que topa a missão de percorrer o caminho inverso da contaminação de uma misteriosa doença que ameaça dizimar a humanidade. A direção é de Marc Forster e o filme ganhará uma sequência assinada por David Fincher, que já dirigiu Pitt em "Seven", "Clube da Luta" e "O Curioso Caso de Benjamin Button" em breve.

Show de graça

Negra Li fará show gratuito em São Paulo nesse sábado (31)
Divulgação
Negra Li fará show gratuito em São Paulo nesse sábado (31)

E se o Lolla atrai multidões com preços bem salgados, outras opções de shows gratuitos seguem tomando a cidade. Negra Li , por exemplo, vai se apresentar no Sesc Dom Pedro II no próximo sábado (31). O evento não se trata apenas de uma apresentação, mas de um encontro que unirá o repertório de Negra Li a um bate-papo que resgatará influências sobre suas produções artísticas e desenvolvimento de identidade musical, além de outras realizações que a fizeram construir a própria carreira.

Leia também: Investimento na novíssima cena musical brasileira compensa no Lollapalooza 2018

    Leia tudo sobre: anitta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.