Reprodução/Instagram - 01.06.2022
"Sejam mais responsáveis com suas irmãs artistas", pede Manu Gavassi para repórteres mulheres

Manu Gavassi usou o Twitter para lamentar a forma como uma entrevista que ela concedeu foi divulgada neste domingo (24). Apesar de ter conversado sobre seus trabalhos na música e no audiovisual, política e feminismo, a cantora se sentiu incomodada pelo foco excessivo em questões estéticas na manchete da matéria, como o explante de silicone e transição capilar da cantora .

+ Entre no canal do  iG Gente no Telegram  e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

A entrevista foi veiculada pelo Caderno Ela, do jornal O Globo. Manu elogiou a capa da edição, mas expressou o descontentamento na rede social.

"Quando li a manchete de uma das maiores revistas femininas do Brasil, senti um incômodo, mas me perguntei se não estava sendo muito reativa ou exagerando. Conversei muito abertamente com a repórter (uma mulher inteligente e sensível) sobre como tinha ficado chateada de uma notícia a respeito do meu corpo ter ofuscado o lançamento de um trabalho gigantesco. Ela partilhou da mesma frustração", contou Manu em uma série de tweets.

A artista e empresária analisa que a chamada levando em conta mais a sua estética do que o seu trabalho é uma marca do machismo. "Fiz um exercício, coloquei nome de atores e cantores homens com mais ou menos a minha idade e fui ver a capa deles. Nenhuma os reduzia a aparência. Alguma cirurgia? Botox? Mudança de cabelo? Nenhuma citava isso a respeito deles. Apenas suas grandes conquistas profissionais, não importa se são de fato grandes ou não. Daí eu dei um Google nas mulheres e a história já muda um pouco", escreveu.

Manu afirma que com tantas novidades em sua carreira, como o sucesso de sua personagem na série "Maldivas", da Netflix", e da turnê atual, não imaginava que a conversa sobre pressão estética e beleza seria o foco principal da matéria que foi ao ar. "Não pensei nem por um segundo que meu peito, ou a falta dele, e meu cabelo e a textura dele, estariam estampados em uma capa nesse momento da minha vida. Porque eu não pensei em nem um segundo neles".

A cantora continua a afirmar que poderia ter ficado quieta, mas que está sem paciência para a forma como artistas mulheres são reduzidas à aparências e não são definidas pelas conquistas na carreira. Ela também pediu que repórteres mulheres "sejam mais responsáveis com suas irmãs artistas".

"E que no futuro eu seja uma velinha sacudida, com uma carreira construída e que esteja passando na banca (ainda existirão bancas?) e vejo uma artista mais nova que me lembrará muito eu nos velhos tempos com a Manchete 'Mais uma pra nossa lista gigantesca de mulheres brasileiras e criativas Fulaninha brilha em nova turnê pelo Brasil com concepção artística criada por ela, enquanto comemora o sucesso de sua última personagem e se desdobra pra dar conta de todos os novos projetos. O céu é o limite!' Daí vou respirar aliviada", concluiu a artista.

Depois dos tweets, ela recebeu mensagens de apoio de famosas e anônimas. Ela também compartilhou as edições feitas pelos fãs que mudaram a manchete da entrevista com foco nas conquistas da carreira profissional dela.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários