Bia Bonemer é filha de Fátima Bernardes e William Bonner
Reprodução - 25.03.2022
Bia Bonemer é filha de Fátima Bernardes e William Bonner


Desde que viralizou cantando pagode, Bia Bonemer viu os holofotes — que antes focavam apenas nos pais, Fátima Bernardes e William Bonner — se voltarem para ela. A carioca, de 24 anos, tem dado entrevistas e estrela agora seu primeiro ensaio de moda. Ela não esconde que está achando tudo “engraçado”:

— Eu canto desde sempre, por puro prazer. E, estou rindo, porque eu não esperava nada disso. Juro. Gente, não sei posar para foto (risos).

Em breve, produções como essa poderão se tornar ainda mais comuns na rotina da jovem. É que, enquanto não decide se vai querer se profissionalizar como cantora, a também designer está investindo na carreira de digital influencer. Tem contrato assinado com a empresa de Felipe Neto e seu sócio, para cuidar de campanhas publicitárias.

— Sempre gostei do universo de maquiagem, beleza e devo mesclar com covers de música. A minha mãe sempre fala para eu postar. Também estamos combinando (com o empresário) de focar na parte lifestyle, no meu dia a dia, é o que já faço.


Mas mostrar seu cotidiano não significa entregar ao público detalhes da vida da apresentadora do “Encontro” ou do âncora do “Jornal Nacional”.

— Minhas redes são abertas, mas me considero muito discreta, não falo tanto da minha vida pessoal. Sei que tem uma curiosidade pelos meus pais serem quem são, mas as minhas redes são para mim. Não vou falar nada sobre eles. O mesmo em relação a meus irmãos. Laura, por exemplo, não gosta. Nem marco o perfil dela nas redes porque as pessoas pedem para seguir e ela não quer. Sempre que algo os envolve, eu os consulto antes de publicar.

O que não impede certas pessoas de fazerem perguntas sem noção.

— Eu dou uma filtrada, mas já abri caixinha de pergunta e sempre tem: “Você gosta mais do seu padrasto ou da sua madrasta?”. Gente?

A “filtrada” foi a forma que ela sempre encontrou para lidar com a fama dos pais. Bia nunca se sentiu impedida de fazer nada, porém reconhece que costuma ter mais cuidados com o que faz e fala, justamente para preservar quem ama.

— Eu não sei o que é não ter pais famosos. Também não tive o momento de cair a ficha. É que sempre os via na TV. E eles sempre nos preservaram, nunca precisei deixar de fazer nada. Mas eu me policio. Por exemplo, estamos em ano eleitoral. Eu sei que o que fizer ou disser pode gerar ataques aos meus pais. É claro que não penso nisso exatamente o tempo todo e com o passar dos anos fui me desprendendo, até porque já tenho noção.

E sobraram para ela também os haters.

— São aqueles perfis falsos, sem fotos. Bloqueio sempre e vida que segue. Se a gente for ligar para todos esses comentários ruins...

A libriana sabe que a vida pública a leva a perguntas sobre questões pessoais. A própria relação com os padrastos, por exemplo, dá o que falar. Bia lembra que a separação dos pais, em 2016, não foi fácil, mas nem traumática como muitos pensam.

Leia Também

— A gente já tinha 18 anos e todos lidamos bem. Acho que o público lidou pior (risos). Claro que não é fácil, poxa, é a separação dos pais. Mas também não teve aquele ciúme. Quando os vimos felizes com outras pessoas, era exatamente o que queríamos. A gente até incentivava que os dois começassem a namorar.

E será que Bia está preparada para falar dos assuntos do próprio coração?

— Estou solteira, mas tranquila. Por mim, já estaria namorando. Mas enquanto não encontro alguém... (risos). Não ligo de responder essas perguntas. Mas quando achar algo invasivo demais, e eu não quiser me expor, aí eu pulo.

Mãe coruja

Bia Bonemer surpreendeu até a mãe, Fátima Bernardes, quando surgiu cantando um pagode de Dilsinho em um bar na Zona Oeste do Rio. Orgulhosa, a apresentadora compartilhou o vídeo nas redes sociais, que logo alcançou mais de um milhão de visualizações.

— Dos meus irmãos, eu sempre fui a mais tímida, mas fui crescendo e isso foi mudando. Por isso, acho que minha mãe nunca imaginou que eu pegava o microfone para cantar quando saía para bares. E ela sempre foi coruja, com tudo. Pode ser algo horrível e ela compartilha toda orgulhosa. Mãe é mãe, né? — conta a aspirante à cantora, de 24 anos.

Fátima enviou a versão de “Péssimo negócio” de Bia até para o dono da canção, que já fez o convite para que a jovem suba com ele em um palco. A assessoria do artista confirmou.

— Eu disse que, se ele estiver falando sério, vou mesmo. Pode ser um desastre, mas eu aceito — avisa ela.

Designer por formação, Bia ainda encara o canto como uma “terapia”. Faz aulas há sete anos por prazer, nunca almejando seguir carreira na área.

— Nunca me vi como cantora. Meus amigos costumam pedir para eu pegar o microfone. Nas saídas, fui conhecendo o pessoal da banda com que cantei. E eles foram deixando. Nesse dia mesmo, cantei cinco músicas. Agora há pouco me chamaram para cantar amanhã de novo. E têm chegado mensagens de grupos de pagode que nunca vi na vida me convidando (risos). Minha mãe sempre me incentivou a postar mais vídeos cantando. Estou achando tudo muito engraçado — assume Bia, que ainda não ganhou nem mesmo uma cervejinha como cachê.


Guinada

O vídeo viral também chega num momento em que a carioca decidiu se expor mais e fazer disso uma forma de ganhar dinheiro. Recentemente, ela assinou contrato com a empresa de Felipe Neto e seu sócio para agenciar contratos para influenciadores digitais.

— Comecei na Play9 como estagiária de design e, na pandemia, a empresa cresceu muito. Os sócios queriam ampliar o catálogo de microinfluenciadores, explorar talentos dentro da própria empresa e acharam que eu tinha perfil, carisma… Sei que tenho muitos seguidores por conta dos meus pais. E eu já usava as redes sociais postando coisas da minha vida. Vi aí uma oportunidade de continuar fazendo a mesma coisa, mas ganhando dinheiro. Estamos na fase de analisar propostas comerciais — celebra a jovem, que continua como designer na empresa: — Sou agente duplo (risos).

Sempre discretos em relação à vida pessoal, os pais se surpreenderam com a possibilidade da nova carreira da filha, mas jamais pensaram em desestimulá-la.

— Minha mãe é da vibe do “tem que fazer”. Meu pai (William Bonner) fica: “Ai, meu Deus, esse mundo é muito distante para mim” (risos). Sei que por ser filha de quem sou, desperto uma curiosidade. Meus irmãos e eu sempre fomos preservados, nunca sofri com a fama deles. E mesmo postando mais, me acho muito discreta, não falo muito da nossa vida privada.

Bia sabe, no entanto, que a nova empreitada vem recheada de expectativa.

— Sinto uma pressão que às vezes eu mesma me coloco. É que meus pais são meus pais: muito talentosos e competentes no que fazem. Quando fui amadurecendo, isso deixou de ser algo tão grande em mim. Eles são eles. Eu sou eu. E estou tranquila com isso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários